Minas Gerais Governo de MG vai disponibilizar leitos para crianças do Amazonas

Governo de MG vai disponibilizar leitos para crianças do Amazonas

Romeu Zema (Novo) afirmou que equipes já trabalham na transferência de pacientes de Manaus para hospitais de MG

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro*, do R7

Gil Leonardi/Imprensa MG

O Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) anunciou nesta sexta-feira (15), que o Estado vai disponibilizar leitos de terapia intensiva pediátrica para atender crianças do Amazonas.

Em seu perfil em uma rede social, Zema informou que equipes de saúde já estão trabalhando na operação de transferência dos pacientes do Amazonas para unidades de Saúde de Minas Gerais. O governador afirmou ainda que o povo mineiro, “que já foi muito ajudado em momentos de dor”, se mostra solidário com a situação complicada no estado da região Norte.

Em nota, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, afirmou que a ocupação de leitos pediátricos em Minas Gerais é baixa. Segundo ele, a solicitação foi feita pelo Ministéroi da Saúde. 

— Temos uma ocupação baixa de leitos pediátricos no estado, diferente da ocupação de leitos de adultos. Temos que lembrar que o SUS é um sistema único, precisamos apoiar o Amazonas neste momento.

Covid-19 em Manaus

A situação de calamidade em decorrência da pandemia em Manaus piorou ao longo dessa semana, quando o estoque de oxigênio acabou na rede hospitalar da cidade manauara. Além disso, centenas de pacientes esperam por um leito. 

Nesta quinta-feira (14), a juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara Federal Cível da Justiça Federal do Amazonas, que compete à União a "imediata transferência de todos os pacientes da rede pública que por ventura estejam na iminência de perder a vida em razão do desabastecimento do insumo oxigênio, devendo encaminhá-los para outros estados". 

O despacho da magistrada ainda diz que no Estado só deve ficar o quantitivo que possa ser atendido nos hospitais públicos com a reserva já existente.

Há estimativa de que até 750 pessoas tenham de deixar Manaus para serem atendidas em outros locais.

Últimas