Homem é suspeito de agredir ex e incendiar a casa dela em BH

Suspeito já havia sido preso em março por ter agredido a vítima após o fim do relacionamento; pela internet, ele teria prometido novas agressões

Um homem de 36 anos é suspeito de ter agredido a ex-companheira e incendiado parte da casa da mulher no bairro Nova Pampulha, em Belo Horizonte, na madrugada desta quarta-feira (9).

O suspeito, Erick Pereira da Silva, estava preso por ter agredido a ex-companheira em março, mas foi liberado mediante o uso de tornozeleira eletrônica. Segundo a família da vítima, existem três medidas protetivas contra o agressor.

De acordo com a polícia, durante a madrugada desta quarta-feira, Erick foi até a casa da ex, agrediu a mulher na frente do filho de 5 anos e ateou fogo em um colchão. As chamas se alastraram para outras partes da casa.

Ameaças

Homem teria incendiado casa no Nova Pampulha

Homem teria incendiado casa no Nova Pampulha

Reprodução / Google Street View

O ex-companheiro teria enviado diversos áudios por Whatsapp ameaçando a mulher. No conteúdo das mensagens, Erick diz não aceitar o fim do relacionamento e se incomoda com a possibilidade da vítima ter outro namorado. Nos áudios, ele promete que fará uma “surpresa” para a ex-companheira.

— Você gosta de dar mole para os meus amigos, né? O seu aniversário é dia 14, você vai ver o presentinho que eu vou te dar, aguarde!

A irmã da vítima, Jéssica Sampaio, teme que o agressor retorne nos próximos dias. Segundo ela, nem a prisão e as medidas protetivas foram capazes de dar paz para a família.

— Ele já queimou ela, chutou. fez de tudo. Minha irmã chegou a ficar internada durante cinco dias. Ele já disse que minha irmã só vai viver até o próximo dia 14.

Em nota, a PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) informou que está apurando os fatos e que a vítima será chamada para depor nos próximos dias. A corporação aguarda as investigações para decidir se o homem deve retornar à prisão.

Já a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais) afirmou que Erick está sendo monitorado por tornozeleira eletrônica desde o dia 26 de junho. Segundo a Secretaria, o suspeito não teria violado o aparelho nos últimos dias.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli