Minas Gerais Homem que matou Bárbara Victória teria cometido crime semelhante em 2012

Homem que matou Bárbara Victória teria cometido crime semelhante em 2012

Suspeito morava na cidade de Santa Luzia (MG), onde Bianca Faria, então com 11 anos, foi achada morta nas mesmas circunstâncias

Bianca Faria foi achada morta em um matagal em Santa Luzia (MG), em 2012

Bianca Faria foi achada morta em um matagal em Santa Luzia (MG), em 2012

Reprodução / Record TV Minas

O homem apontado pela Polícia Civil de Minas Gerais como assassino da menina Bárbara Victória, de 10 anos, em um bairro limítrofe entre Belo Horizonte e Ribeirão das Neves, pode ter sido o responsável pela morte de outra menina, então com 11 anos, em 2012. O crime ocorrido na cidade de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, não teve solução até hoje.

A possível ligação entre o catador de recicláveis Paulo Sérgio, de 50 anos, com a morte de Bianca dos Santos Faria foi adiantada em primeira mão pela Record TV Minas, na tarde desta quarta-feira (10).

"O mesmo homem que esteve aqui em casa, na época em que a Bianca estava viva", relatou à reportagem Ana Maria da Silva, avó de Bianca.

A investigação aponta que há similaridade entre as ocorrências. Assim como Bárbara, Bianca foi estuprada. O corpo dela foi achado em um matagal com sinais de violência. A menor também desapareceu ao ir a uma padaria. Na época, Paulo Sérgio morava em Santa Luzia.

Paulo Sérgio foi achado morto no último dia 3 de agosto na casa de uma tia, no bairro Cachoeirinha, na região norte de Belo Horizonte. Ele teria tirado a própria vida após o início das investigações do caso Bárbara. O homem chegou a ser detido, mas foi liberado por falta de provas.

Segundo a investigação, Bárbara foi assassinada no dia 31 de julho, data em que ela desapareceu ao ir comprar pão na padaria. Ela teria sido atraída por Paulo Sérgio até a casa dele, onde ocorreu o crime. O homem, segundo o delegado Fábio Werneck, usou um carrinho de mão para transportar o corpo até o matal.

Veja mais detalhes da investigação:

Últimas