Minas Gerais Homenagens a vítimas marcam 3 meses da tragédia em Brumadinho

Homenagens a vítimas marcam 3 meses da tragédia em Brumadinho

Rompimento da barragem da Vale deixou um rastro de destruição ambiental e mais de 300 vítimas, que recebem homenagens na cidade da Grande BH

Homenagem a vítimas da tragédia acontecem em Brumadinho

Homenagem a vítimas da tragédia acontecem em Brumadinho

Reprodução / Record TV Minas

O dia em que completa três meses do rompimento da Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH, é marcado por homenagens, audiências e depoimentos em comissões de investigação. 

Um ato ecumênico em homenagem às vítimas está previsto para as 12h28, horário exato em que a barragem se rompeu e atingiu a estrutura administrativa da Vale, uma pousada e diversas casas no entorno. De acordo com a Polícia Civil, até o momento foram identificados 233 mortos e outros 37 estão desaparecidos. 

Mais cedo, uma audiência pública relembrou as vítimas do maior acidente de trabalho da década, conforme a OIT (Organização Internacional do Trabalho). 

Conforme a programação, às duas da tarde os moradores se encontram com promotores de Justiça, defensores públicos e procuradores da República e as cinco horas está marcado um ato cultural com artistas. 

Investigação

Além das homenagens, o dia que marca os três meses da tragédia em Brumadinho também será de audiências na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa de Minas. Em Brasília, os deputados instalam a CPI de Brumadinho.

Já em Belo Horizonte, a CPI criada para investigar as causas do rompimento da barragem colhe depoimentos de funcionários da Vale que sobreviveram ao desastre e de diretores de uma empresa que se recusou a atestar a segurança da estrutura.