Minas Gerais Jovem que ameaçou estudante com frases racistas é identificado em MG

Jovem que ameaçou estudante com frases racistas é identificado em MG

Nas redes sociais, suspeito chamou jovem negra de "suja" e "pobre da favela"; ele não foi preso, mas não pode se aproximar da vítima

  • Minas Gerais | Gabriel Rodrigues, da Record TV Minas

Suspeito fazia postagens racistas nas redes sociais

Suspeito fazia postagens racistas nas redes sociais

Reprodução/Record TV Minas

A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão, em Juiz de Fora, a 283 km de Belo Horizonte, contra um jovem, de 22 anos, suspeito de promover ataques racistas contra uma estudante, de 24 anos, nas redes sociais, em janeiro deste ano.

A vítima teve uma foto usada em uma montagem onde ela era comparada com uma mulher branca e atacada com vários xingamentos.

A polícia conseguiu descobrir a identidade dele após três meses de investigação. Na casa do suspeito, foram encontrados materiais que indicavam seu posicionamento racista e homofóbico.

A PC pediu a prisão preventiva do jovem, mas a Justiça não concedeu. A determinação é que, a partir de agora, ele não pode se aproximar da vítima, nem tentar abordá-la pela internet. 

O caso  

O caso que motivou as investigações aconteceu no início de janeiro. A estudante foi vítima de racismo e procurou a polícia. O suspeito teria feito montagens com uma foto dela, ao lado de uma mulher branca.

Na postagem, ele dizia que a estudante é "suja", "pobre da favela" e que "rouba", "mata", "usa drogas" e "só serve para sexo". Já a moça branca seria privilegiada, rica, trabalhadora, estudiosa e serve para casamento. 

Em outra publicação, ele afirmava ser racista assumido e dizia que não gostava de negros. O jovem escreveu que seria capaz de agredir uma pessoa negra, caso ela se aproximasse dele, e comentou também que seria melhor que os negros fossem mandados para a África.  

Os ataques à jovem começaram quando um amigo da vítima sofreu ataques homofóbicos nas redes sociais pelo suspeito. A jovem denunciou a conta e, desde então, vinha sendo perseguida por ele na internet. O jovem chegou a mandar áudios para a estudante pelas redes sociais, com mensagens ofensivas

A Polícia Civil acredita que existam mais vítimas e pede que as pessoas procurem as autoridades. 

Últimas