Minas Gerais Justiça manda CSN adotar medidas de segurança em barragem de MG

Justiça manda CSN adotar medidas de segurança em barragem de MG

Barragem da Mina de Fernandinho, em Rio Acima, está com nível 2 de emergência e moradores já foram retirados da área de risco

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, com Giovana Maldini*, do R7

Moradores foram retirados da área de risco

Moradores foram retirados da área de risco

Prefeitura de Rio Acima/Divulgação

A Justiça determinou que a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) adote medidas de segurança em uma barragem da Mina de Fernandinho, em Rio Acima, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

Caso as mudanças não sejam feitas, o Grupo CSN terá multa diária de R$ 1 milhão. Os moradores já foram retirados da área de risco.

Barragem 

Segundo o Governo do Estado, a barragem tem aproximadamente 33 metros de altura e um aterro estimado em 413 mil metros cúbicos. O local está com a declaração de condição de estabilidade negativa, em nível dois de emergência, e teve o PAEBM (Plano de Ação Emergencial de Barragens de Mineração) acionado devido ao não atendimento dos fatores de segurança.

Em 2019, o nível de segurança da barragem da Mina de Fernandinho, em Rio Acima, alcançou o nível 1 de emergência e os moradores da ZAS (Zona de Autossalvamento) foram retirados das casas e realocados, devido a elevação do nível de risco.

Ameaça

Em caso de ruptura, a estrutura, que está a menos de nove quilômetros do Rio das Velhas, pode causar danos a diversos municípios, além de interromper a captação de água pela Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais) em Bela Fama, distrito de Nova Lima, na Grande BH. 

O Governo de Minas afirma que permanece mobilizado e que tem um Plano Integrado de Resposta para direcionar a atuação integrada dos órgãos e entidades estaduais, como Defesa Civil, Fundação Estadual do Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Copasa. O Governo ainda afirmou que os órgãos envolvidos estão monitorando a situação.

Outro lado

Em resposta a demanda da reportagem, a mineradora Minérios Nacional, que pertence ao Grupo CSN, afirmou que a obra de estabilização e descomissionamento da Barragem B2A, na mina de Fernandinho, está temporariamente suspensa "para tratativas junto à Agência Nacional de Mineração (ANM)".

A barragem, neste momento, está com nível reduzido de água, de acordo com a empresa. 

"A empresa, hoje, não possui nenhuma barragem de rejeitos em operação. A obra deverá estar totalmente concluída em março de 2022. Diariamente são feitas inspeções na obra e sua estrutura não apresenta risco de rompimento", afirma a Minérios Nacional, que diz estar comprometida "com a produção a pelo método a seco e livre do uso de barragens".

* Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas