Justiça mineira reduz pena do goleiro Bruno

TJMG considerou que crime de ocultação de cadáver prescreveu

Justiça mineira reduz pena do goleiro Bruno

Defesa também pediu anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio

Defesa também pediu anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio

Reprodução / RecordTV Minas

Por unanimidade, os três desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJMG (Tribunal de Justiça do Estado de Minas) diminuíram em um ano e seis meses a pena do goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses pela morte da ex-modelo Eliza Samudio. Com a decisão, o atleta passa a ter que cumprir 20 anos e nove meses de detenção. A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (27), em Belo Horizonte.

Os magistrados entenderam que o crime de ocultação de cadáver prescreveu. O novo defendor do goleiro, Fábio Gama, comemorou o resultado e disse que o atleta vai para o regime semiaberto ainda neste ano. O Tribunal avaliou, ainda, o recurso que solicitava a anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio, mas o pedido foi negado.

Lentidão

A defesa do atleta havia alegado exagero na pena decretada. O pedido de revisão foi enviado à Justiça, em 2013. A demora na análise do documento chegou a levar o goleiro a ser solto, em fevereiro deste ano.

Fernanda Gomes

Fernanda Gomes (foto) foi acusada de sequestro e cárcere privado

Fernanda Gomes (foto) foi acusada de sequestro e cárcere privado

Reprodução / RecordTV

Na mesma sessão, os desembargadores também diminuíram a pena de Fernanda Gomes de Castro, para três anos em regime aberto. Em 2012, a ex-amante do jogador foi condenada à cinco anos em regime aberto pelo sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio e de Bruninho, filho da ex-modelo com o goleiro Bruno. Porém, nesta quarta-feira, os desembargadores entenderam que houve prescrição do crime de cárcere privado.