Justiça mineira reduz pena do goleiro Bruno

TJMG considerou que crime de ocultação de cadáver prescreveu

  • Minas Gerais | Do R7 com Ezequiel Fagundes, da RecordTV Minas

Defesa também pediu anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio

Defesa também pediu anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio

Reprodução / RecordTV Minas

Por unanimidade, os três desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJMG (Tribunal de Justiça do Estado de Minas) diminuíram em um ano e seis meses a pena do goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses pela morte da ex-modelo Eliza Samudio. Com a decisão, o atleta passa a ter que cumprir 20 anos e nove meses de detenção. A decisão foi tomada na tarde desta quarta-feira (27), em Belo Horizonte.

Os magistrados entenderam que o crime de ocultação de cadáver prescreveu. O novo defendor do goleiro, Fábio Gama, comemorou o resultado e disse que o atleta vai para o regime semiaberto ainda neste ano. O Tribunal avaliou, ainda, o recurso que solicitava a anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio, mas o pedido foi negado.

Lentidão

A defesa do atleta havia alegado exagero na pena decretada. O pedido de revisão foi enviado à Justiça, em 2013. A demora na análise do documento chegou a levar o goleiro a ser solto, em fevereiro deste ano.

Fernanda Gomes

Fernanda Gomes (foto) foi acusada de sequestro e cárcere privado

Fernanda Gomes (foto) foi acusada de sequestro e cárcere privado

Reprodução / RecordTV

Na mesma sessão, os desembargadores também diminuíram a pena de Fernanda Gomes de Castro, para três anos em regime aberto. Em 2012, a ex-amante do jogador foi condenada à cinco anos em regime aberto pelo sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio e de Bruninho, filho da ex-modelo com o goleiro Bruno. Porém, nesta quarta-feira, os desembargadores entenderam que houve prescrição do crime de cárcere privado.

Últimas