Minas Gerais Médico, sargento e cabo são presos em operação contra pedofilia

Médico, sargento e cabo são presos em operação contra pedofilia

Infância Reavida foi deflagrada nesta quarta-feira em cinco cidades de Minas Gerais, onde 10 pessoas foram presas com farto material

Investigação começou há mais de seis meses

Investigação começou há mais de seis meses

Reprodução RecordTV Minas

Um médido, dois policiais militares e outras sete pessoas foram presas na operação Infância Reavida, deflagrada nesta quarta-feira (31) pela Polícia Civil de Minas Gerais para combater o crime de pedofilia.

A investigação durou mais de seis meses e capturou, em computadores e outros equipamentos de propriedade dos detidos, cerca de 30 mil imagens de sexo com crianças e adolescentes.

Polícia prende dez pessoas por suspeita de pedofilia

Segundo a delegada Isabella França Oliveira, alguns vídeos têm imagens bizarras:

— Havia bastante material relacionado à pedofilia. (Num dos vídeos), criança mantendo relações com animais. Situações bem graves.

As prisões ocorreram em Belo Horizonte; Betim e Nova Lima, ambas na região metropolitana; Barbacena, no Campo das Vertentes; e Ipatinga, no Vale do Aço.

Na capital, os investigadadores prenderam um médico. Em posse dele, além de vídeos mantendo relações com adolescentes, foram apreendidos imagens feitas no consultório sem, provavelmente, o conhecimento de pacientes.

Professor é preso por compartilhar pornografia com crianças

Ainda em BH, um sargento reformado da PM foi preso. Em Nova Lima, um cabo que está na ativa.

No caso dos militares, além do inquérito na Polícia Civil, também serão alvos de procedimentos administrativos, como informou Gláucio Porto, subcoregedor da PM:

— Vamos verificar agora o que será apurado no inquérito policial comum e vamos fazer o trabalho disciplinar para verificar a procedência e a permanência deles nos quadros da PM.