Minas Gerais Megaoperação bloqueia R$ 13 mi e apreende veículos e lanchas

Megaoperação bloqueia R$ 13 mi e apreende veículos e lanchas

Ação cumpre 46 mandados de busca e apreensão e 28 de prisão preventiva em seis cidades de Minas Gerais e na capital paulista

  • Minas Gerais | Núbia Roberto, da Record TV Minas

Duas lanchas foram apreendidas durante operação

Duas lanchas foram apreendidas durante operação

Divulgação / MPMG

Uma operação do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) e das polícias Civil e Militar foi deflagrada nesta terça-feira (17) em Uberlândia, a 537 quilômetros de Belo Horizonte, com o objetivo de combater tráfico de drogas, corrupção, homicídios, extorsões, roubos, receptações, estelionatos, lavagem de dinheiro, entre outros crimes.

Durante a ação, foi determinada a expedição de 46 mandados de busca e apreensão e 28 de prisão preventiva, a indisponibilidade de 14 imóveis e a apreensão de 27 veículos e duas lanchas. A Justiça ainda determinou o bloqueio de mais de R$ 13 milhões em bens dos investigados.

Além de Uberlândia, os mandados também estão sendo cumpridos também na cidade de São Paulo e nos municípios mineiros de Jaíba, Córrego Danta, Paracatu, Tupaciguara e Araguari.

Veja também: Operação apreende R$ 1 milhão com quadrilha de tráfico de drogas

A ação contou com a participação três promotores de Justiça de Minas Gerais, 100 policiais civis e 100 militares de Minas Gerais, e teve o apoio da Polícia Civil de São Paulo e da unidade regional do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Paracatu, a 483 quilômetros de Belo Horizonte.

Investigações

A operação foi denominada “Diamante de Vidro” em referência ao caso que iniciou as investigações, no qual dois homens foram presos suspeitos de negociar pedras preciosas em Uberlândia. No decorrer das apurações, foi verificado que o material apreendido era falso.

Os investigadores ainda constataram que os suspeitos eram integrantes de uma organização criminosa suspeita de tráfico de drogas, corrupção, homicídios, extorsões, roubos, receptações e estelionatos. O grupo também teria escondido os lucros ilícitos das atividades criminosas por meio de lavagem de dinheiro.

Últimas