Minas Gerais MG tem média de 11 feminicídios por mês até novembro de 2020

MG tem média de 11 feminicídios por mês até novembro de 2020

Estado registrou, no mesmo período, 134 mil ocorrências de violência doméstica; número de casos teve redução

  • Minas Gerais | Regiane Moreira, da Record TV Minas

Resumindo a Notícia

  • Foram registrados 122 casos de feminicídio em 2020 em Minas, entre janeiro e novembro
  • Mais de 134 mil denúncias de violência doméstica foram feitas no mesmo período
  • Números foram menores que os registrados em 2019
  • Psicólogo acredita que cultura machista impulsiona violência

Minas Gerais registrou, entre janeiro e novembro deste ano, 122 assassinatos de mulheres - uma média de 11 crimes por mês. Os dados são da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Estado). Os casos registrados em dezembro ainda serão levantados pela pasta.

O número está abaixo dos 129 casos registrados no mesmo período de 2019, mas especialistas alertam que a situação pede atenção. Para o psicólogo e psicanalista Marcell Santos, os homens matam mais que as mulheres por causa da cultura machista da sociedade.

— Quando uma mulher diz que o homem em questão não é mais seu objeto de desejo, ele acaba tendo seu narcisismo ferido. Alguns homens vão preferir falar sobre si mesmo, enquanto outros vão recorrer a atos violentos, seja física ou verbal.

Entre janeiro e novembro deste ano também foram registradas mais de 134 mil ocorrências de violência doméstica no Estado, reduzindo aproximadamente 3.000 casos em comaparação ao mesmo período de 2021.

Embora o balanço ainda não considere os casos de dezembro, o último mês do ano terá mais registros. Um deles será o da morte Camila Miranda Bandeira, de 32 anos, assassinada a facadas, na frente dos filhos, em Três Corações, a 287 km de Belo Horizonte. O suspeito do crime é o próprio marido da vítima.

Conflitos

Em um destes crimes, uma mulher que prefere não se identificar resolveu denunciar as agressões psicológicas e físicas cometidas pelo marido por mais de 20 anos. A vítima, que foi expulsa de casa após recusar dividir o homem com uma amante, conta que foi ameaçada até por parentes do marido.

— Eu não tinha paz. Até a mãe dele e as filhas me xingavam. Chegaram a proibir visitas na minha casa para ninguém ver as agressões.

MG teve 134 mil casos de agressão contra mulher

MG teve 134 mil casos de agressão contra mulher

Reprodução / Pixabay

O psicólogo Marcell Santos acredita que uma mudança significativa na sociedade só pode acontecer a longo prazo. Ele indica que o principal quesito a ser trabalhado é a estabilidade emocional dos homens.

— Uma mudança real demora 100, 150 anos. É possível também mudar cada sujeito, permitir que ele fale sobre seus sentimentos e veja a palavra como uma saída.

Últimas