Minas Gerais Microchips vão monitorar animais em cidades da Grande BH

Microchips vão monitorar animais em cidades da Grande BH

Dispositivos serão colocados sob a pele de cães, gatos e cavalos de moradores que vivem em situação de vulnerabilidade social

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Microchips serão doados pela Cedro Mineração

Microchips serão doados pela Cedro Mineração

Reprodução / Pixabay

O Governo de Minas Gerais vai usar microchips para monitorar cães, gatos e cavalos em cidades da região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), a ideia é usar os equipamentos para garantir políticas de manejo populacional dos cães e gatos de forma ética. No caso dos equídeos, serão monitorados aqueles usados para tração de carroças no meio urbano. O projeto vai dar prioridade aos donos de animais que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Os dispositivos são do tamanho de um grão de arroz e fabricados com um tipo de vidro biocompatível, que não causa alergia ao ser colocado sob a pele dos pets. Ele carrega um código que vai armazenar a identificação e todas as informações referentes ao animal.

“Esse sistema é uma forma moderna e segura de manter os animais identificados. O microchip tem tripla função: é uma ferramenta importante para localizar animais perdidos; possibilita o registro de animais perante os órgãos públicos, viabilizando o planejamento da gestão e manejo de fauna e também é útil para relacionar animais encontrados em situação de maus tratos ou abandono ao responsável, viabilizando as ações de fiscalização”, destacou a Semad em nota.

Os microchips serão doados pela Cedro Mineração, como parte do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) que legaliza a operação da empresa em uma mina em Nova Lima, na Grande BH.

O documento prevê que todas as cidades que sejam impactadas pelo trabalho da companhia, bem como pelo trânsito provocado por ele, sejam beneficiadas com os quase 50 mil microchips. O número de municípios que receberão os dispositivos ainda é calculado.

Dez leitores de chips também foram doados pela firma como parte do acordo. A negociação é a mesma que garantiu a construção de uma rotatória em Nova Lima.

“Em outras frentes não menos importantes como cultura, lazer, esporte, saúde e educação a empresa já investiu outros R$ 5 milhões por meio de leis de incentivo. A empresa se destaca também na geração de emprego e renda: são mais de 800 postos diretos de trabalho e outros mais de mil indiretos”, indicou comunicado da mineradora.

Últimas