Minas Gerais Minas Gerais tem o primeiro gandula PcD do país

Minas Gerais tem o primeiro gandula PcD do país

Rani passou a usar prótese há 24 anos, após ser atropelado na região central de Belo Horizonte e perder a perna direita

  • Minas Gerais | Do R7

Divulgação/ Redes sociais

Francisco, conhecido como Rani PcD, é a primeira pessoa com deficiência escolhida para ser gandula em jogos de futebol. Há dois anos ele é gandula registrado pela FMF (Federação Mineira de Futebol).

Uma das principais funções de Rani PcD é repor a bola em campo para os jogadores. A rapidez e precisão do gandula têm sido destaque em Minas Gerais. Ele passa os jogos concentrado e correndo o campo todo.

“É muita responsabilidade, é muito complexo. Tem que ter raciocínio a todo momento para respeitar a regra, para fazer o jogo ter um bom andamento. Repondo a bola no momento certo e não atrapalhar”.

O gandula passou a usar prótese há 24 anos, após ser atropelado na região central de Belo Horizonte e perder a perna direita. Desde então, a prática esportiva passou a ser frequente. Ele anda de bicicleta, faz corridas e trilhas.

“É muita alegria para quem gosta de futebol. Todo mundo gostaria de estar aqui [estádio]. Eu tenho o privilégio de estar aqui trabalhando. E não só vendo, mas fazendo parte do espetáculo”, conta o gandula mineiro.

“De fato, eles [FMF] me deram a oportunidade de mostrar que é possível uma pessoa com deficiência ser protagonista do local onde trabalha”, ressalta o atleta.

Veja a reporatgem completa

Últimas