Minas sanciona orçamento que prevê déficit de R$ 17 bi em 2021

Aumento de quase 30% no déficit foi justificado pela "sucessão de eventos negativos"; apesar da pandemia, ICMS deve cair apenas 3% no ano que vem

Minas prevê déficit de R$ 17 bi para 2021

Minas prevê déficit de R$ 17 bi para 2021

Gil Leonardi/ Imprensa MG

O Governador Romeu Zema (Novo) sancionou, no último sábado (8), a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2021 com a previsão de um déficit de R$ 17,2 bilhões, valor quase 30% maior do que o previsto no orçamento deste ano.

O aumento no déficit foi justificado pela “sucessão de eventos negativos”, como o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Grande BH, em janeiro de 2019, as chuvas que atingiram o Estado em janeiro deste ano e os desdobramentos da pandemia de covid-19.

A LDO prevê uma receita de R$ 95,3 bilhões e uma despesa de R$ 112,5 bilhões. Apesar do fechamento de boa parte do comércio por conta das medidas de isolamento social, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) deve cair apenas 3% em relação a 2019, com previsão de arrecadar R$ 49,5 bilhões.

Um outro fator que ameaça as finanças do Estado é o déficit previdenciário, que deve aumentar 8,66% em 2021 e chegar a quase R$ 21 bilhões.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flávia Martins y Miguel