Mulher é morta por ex-marido dentro da viatura da PM

Suspeito não aceitava o fim do relacionamento e achava que era traído

Laís Andrade Fonseca foi golpeada no pescoço e não resistiu
Laís Andrade Fonseca foi golpeada no pescoço e não resistiu RecordTV

Uma mulher de 30 anos morreu no último sábado (7) ao ser esfaqueada pelo ex-companheiro dentro de uma viatura da Polícia Militar em Pavão, no Vale do Mucuri, em Minas Gerais. O suspeito de 34  anos não aceitava o fim do relacionamento e acreditava que estava sendo traído.

Laís Andrade Fonseca acionou a PM após perceber que estava sendo monitorada por câmera instalada dentro do banheiro de casa. Ela informou que estava no banho, quando avistou o equipamento ligado a um computador, que estava escondido em cima da laje da casa.

O suspeito foi localizado, revistado pelos militares e nada foi encontrado. Segundo o Tenente Coronel Fábio Marinho, comandante do 19º Batalhão de Teófilo Otoni, a cidade de Pavão não tem Delegacia da Polícia Civil e os dois precisaram ser encaminhados a Teófilo Otoni. Ainda de acordo com o tenente, eles estavam “tranquilos” no banco traseiro da viatura e a vítima havia falado aos policiais que não tinha interesse em denunciar o ex-companheiro.

Leia mais notícias no Portal R7

Ao passarem próximo ao posto de gasolina na BR-116, já no perímetro urbano de Teófilo Otoni, o suspeito sacou uma faca, que estava escondida no tênis, e golpeou a ex-mulher na região do pescoço. Em seguida, ele tentou suicídio, golpeando o próprio pescoço.

Os dois foram socorridos, mas Laís não resistiu e morreu. O suspeito recebeu atendimento médico e foi preso. Ele está no Presídio de Teófilo Otoni e vai responder por homicídio.

Os dois policiais militares, de 31 e 41 anos, que participaram da ocorrência foram presos, mas a Justiça Militar Estadual expediu um alvará de soltura e eles vão responder por homicídio culposo em liberdade.

Ainda de acordo com o Tenente Coronel Fábio Marinho, foi aberto um procedimento administrativo para apurar o caso e os militares foram afastados das atividades por oito dias.