Minas Gerais Número de vacinas da covid-19 descartadas em BH chega a 158 mil

Número de vacinas da covid-19 descartadas em BH chega a 158 mil

Percentual de perda de doses na cidade está em 6,6%, patamar abaixo da média de 10% tolerada pelo Ministério da Saúde

  • Minas Gerais | Camila Cambraia, da Record TV Minas

A Prefeitura de Belo Horizonte calcula que a média de vacinas da covid-19 descartadas na cidade por problemas com os imunizantes está em 6,6%. Com base nas 2.402.707 doses que a capital mineira recebeu até esta sexta-feira (23), 158.710 unidades foram perdidas desde o início da campanha de imunização. O percentual está abaixo da margem tolerada pelo Ministério da Saúde, que é de 10%.

Ministério da Saúde ampliou tolerância de perda

Ministério da Saúde ampliou tolerância de perda

Albert Gea/Reuters - 06.07.2021

Segundo a SMSA (Secretaria Municipal de Saúde), as perdas podem ter ocorrido de duas formas. Na primeira, com os frascos fechados, como ocorre em casos de armazenamento incorreto. A segunda seria após a abertura dos vidros, como exemplo, em função do curto período de validade das vacinas.

Até abril, o PNO (Plano Nacional de Operacionalização) da vacinação contra a covid-19 tolerava 5% de perdas das vacinas, mas o percentual foi ampliado para 10%. A infectologista Luana Araújo defende que a margem não pode chegar a este nível.

— Pela quantidade de vacinas que temos à disposição, a gente precisa minimizar a perda. Não dá para aceitar 10% de perdas neste sentido. A gente tem que minimizar para um alvo de, no máximo, 5%.

A SES (Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais) informou que inutilizou 13.177 das 15.776.244 de vacinas recebidas. Mas os dados se referem somente à perda das vacinas fechadas, ou seja, a perda física, porque cada município é responsável pelo controle e aplicação das doses.

Luana Araújo avalia que o detalhamento de números ajuda a encontrar as falhas no sistema e corrigir os erros.

— A ideia disso não é ter uma punição. É entender onde está acontecendo a perda para que a gente a minimize.

"A Prefeitura de Belo Horizonte informa que mantém um monitoramento criterioso das vacinas, no que diz respeito não só à validade, mas também às condições em que devem ser armazenadas e aplicadas", destacou a prefeitura em nota.

Últimas