Minas Gerais OAB lança projeto de combate à violência contra a mulher em MG

OAB lança projeto de combate à violência contra a mulher em MG

"Por Elas" vai oferecer acolhimento e apoio jurídico para vítimas de abuso, assédio e violência; relatos serão reunidos em livro

Público inicial do projeto são advogadas

Público inicial do projeto são advogadas

Reprodução / Pixabay

A OAB-MG (Ordem dos Advogados do Brasil em Minas Gerais) e a CAA-MG (Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais) lançam, nesta quinta-feira (9), o projeto "Por Elas", que visa enfrentar e combater a violência contra a mulher no Estado.

A iniciativa tem o objetivo de acolher mulheres que enfrentam abusos sexuais, assédio moral ou qualquer tipo de violência, seja doméstica, física, psicológica ou política, além de promover a saúde e o bem-estar da população feminina de Minas Gerais. No Estado, são registrados, em média, 16 casos de violência doméstica por hora.

A conselheira seccional da OAB-MG e coordenadora do projeto "Por elas", Camila Félix, explica que o órgão abriu um canal de comunicação para receber denúncias feitas por mulheres (veja mais detalhes abaixo). Cada caso será analisado individualmente para, na sequência, os integrantes do projeto decidirem que tipo de apoio será oferecido.

— Será feita uma análise da situação de cada mulher. A vítima será encaminhada para o Instituto Wilson Chagas para assistência física e psicológica.

O Instituto Wilson Chagas é uma organização sem fins lucrativos especializada na busca pelo cumprimento de direitos fundamentais para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Segundo Camila, esse acolhimento será oferecido, inicialmente, para advogadas vítimas de violência, mas o público alvo deve ser ampliado em breve.

— As denúncias já podem ser realizadas a partir de segunda-feira (13). No começo, o projeto se volta às mulheres advogadas vítimas de violência, mas a expectativa é que o "Por Elas" abrace todas as mulheres da nossa sociedade até o final do ano.

Além do acolhimento e apoio em várias frentes, as vítimas de violência de gênero apoiadas pelo projeto vão ter a oportunidade de contar suas histórias, que serão reunidas em um livro que vai “pulverizar histórias de violência” e ajudar na conscientização da população em geral.

Serviço:

As denúncias de abusos sexuais, assédio moral ou qualquer tipo de violência, seja doméstica, física, psicológica e política podem ser encaminhadas para o e-mail ouvidoriaoabporelas@caamg.com.br.

Últimas