Minas Gerais Operação investiga desvio de R$ 201 milhões da Prefeitura de Itabirito

Operação investiga desvio de R$ 201 milhões da Prefeitura de Itabirito

Dois secretários municipais e o irmão do prefeito foram presos; segundo o MP, contratos de licitações foram fraudados

Oitenta agentes participaram da operação

Oitenta agentes participaram da operação

RecordTV Minas / Imagens cedidas / Sírio Senem da Silva

O Ministério Público de Minas Gerais e a Polícia Civil deflagraram, na manhã desta terça-feira (19), a operação Pedra Vermelha, que apura fraudes em licitações da Prefeitura de Itabirito, na região metropolitana de Belo Horizonte. A suspeita é que R$ 201 milhões tenho sido desviados dos cofres públicos. Nove pessoas foram presas, entre elas, os secretários de Obras Públicas e de Desenvolvimento Econômico e o irmão do prefeito.

Foram cumpridos 17 mandados de busca e apressão e 10 mandados de prisão. Um doleiro que, segundo as investigações, faz parte do esquema não foi encontrado.

Segundo o MP, os investigados são suspeitos de crimes de organização criminosa, fraude à licitação, peculato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A investigação aponta que empresas teriam sido contratadas para prestar serviços de transporte escolar, de pavimentação e “tapa-buracos” por meio de licitações fraudulentas e contratos nulos entre os anos de 2013 e 2018. Também há indícios de desvios na destinação de verbas integrantes do Fundi (Fundo de Desenvolvimento de Itabirito).

Três empresas de pessoas de uma mesma família estariam dividindo as licitações. Uma quarta empresa ainda exercia tráfico de influência. Para a promotoria, o irmão do prefeito foi beneficiado em mais de uma situação. Em uma delas, o dinheiro do Fundi teria sido usado para reformar a casa dele. Segundo a polícia, não há indícios de participação do prefeito no esquema.

Ao todo, 8 agentes participaram da operação nesta manhã, sendo três promotores de Justiça, três representantes do MPMG, 15 delegados e 59 investigadores e escrivães.

Os presos foram levados para a sede da Polícia Civil, em Itabirito, e serão encaminhados para o presídio da cidade. Durante esta tarde serão divulgadas mais informações sobre o caso. 

Procurada, a Prefeitura da Itabirito declarou que está pronta para colaborar com a Justiça na apuração dos fatos e que ainda não teve acesso ao conteúdo da investigação. Segundo a nota, os serviços do município continuam funcionando normalmente. Por fim, o executivo afirma que acredita dos órgãos envolvidos na investigação.

Veja nota na íntegra:

"A Prefeitura Municipal de Itabirito informa que foi surpreendida nesta manhã de terça-feira, dia 19 de junho, com uma operação do Ministério Público que investiga supostas irregularidades em licitação e outros serviços.

A Administração Municipal entende que o Ministério Público está cumprindo seu papel e está pronta a colaborar com a Justiça para apuração dos fatos com total transparência.

Até o momento não se tem acesso ao conteúdo da investigação, sendo impossível qualquer manifestação sobre detalhes.

Os serviços públicos estão funcionando em total normalidade, sendo inoportuna qualquer especulação ao contrário.

A Prefeitura de Itabirito acredita na lisura dos órgãos judiciais e espera uma apuração justa e com respeito às leis e as autoridades constituídas."

    Access log