Perícia aponta que bala ricocheteou antes de atingir professora em MG

O tiro que atingiu Fabiana Filipino Coelho foi disparado por um policial militar reformado que tentou impedir a fuga de um jovem suspeito de furto

Vítima andava pela calçada quando foi atingida

Vítima andava pela calçada quando foi atingida

Divulgação / Record TV Minas

A Polícia Civil de Juiz de Fora, a 265 km de Belo Horizonte, apresentou o laudo pericial a respeito da morte de uma professora atingida por uma bala durante um assalto no centro da cidade.

A perícia constatou que o tiro que atingiu Fabiana Filipino Coelho, de 44 anos, foi disparado pelo policial militar reformado que tentava impedir a fuga de um adolescente que tinha acabado de assaltar uma outra mulher na mesma região.

O militar foi esfaqueado poucos antes de atirar contra o jovem. De acordo com o delegado Rodrigo Rolli, a suspeita da Polícia Civil é de que a bala que matou a professora tenha ricocheteado no chão antes de acertar a vítima.

—  A bala entrou no corpo da vítima da direita para a esquerda, de baixo para cima. Provavelmente esse disparo a atingiu de forma de ricocheteio, ou seja, ela bateu na parede ou no chão, desviou e a atingiu.

Durante a próxima semana, a Polícia Civil irá fazer uma reconstituição do caso. O objetivo é esclarecer alguns detalhes importantes para a conclusão do inquérito.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli