Minas Gerais PF abre inquérito para investigar incêndio em museu da UFMG

PF abre inquérito para investigar incêndio em museu da UFMG

Peritos criminais federais foram designados para apurar as causas e os danos causados pelo fogo que atingiu o Museu de História Natural da universidade

Por se tratar de uma instituição federal, a PF é a responsável pela investigação

Por se tratar de uma instituição federal, a PF é a responsável pela investigação

Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal acionou uma equipe de cinco peritos criminais para investigar as causas do incêndio que destruiu parte do Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), em Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (15). 

Leia mais: Fotos mostram estragos em museu da UFMG após incêndio

Até o momento, os peritos fizeram uma análise preliminar externa do local, que ainda estava em resfriamento. Por se tratar de um bem da União, a competência é da Polícia Federal, que abriu inquérito policial para apurar a autoria do incêndio e o que foi afetado.

Localizado na região Leste de BH, o espaço gerenciado pela UFMG conta com mais de 265 mil peças, em uma coleção científica que guarda reserva vegetal, obras de arqueologia e paleontologia, cartografia histórica e arte popular. 

Prejuízos

O incêndio atingiu parte de uma das três reservas técnicas do Museu de História Natural, onde ficam disponíveis para os pesquisadores as coleções que não estão em exposição.

Para a diretora da instituição, a professora Mariana de Oliveira Lacerda, é preciso aguardar a perícia da Polícia Federal para afirmar qual foi a origem do fogo e qual será a perda. 

— Sem dúvida, estamos de luto neste momento. Houve uma perda, mas não sabemos ainda a dimensão. Agora, nossa preocupação é planejar o resgate desse acervo, saber o que é possível recuperar e enfrentar o que tiver que enfrentar. 

A UFMG confirmou, também, que vai criar um comitê com especialistas da instituição para avaliar os prejuízos causados pelo incêndio e planejar a recuperação do acervo. 

Veja mais: 

*Estagiária do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas