Minas Gerais PF combate fraudes no auxílio emergencial em 11 cidades de MG

PF combate fraudes no auxílio emergencial em 11 cidades de MG

Operação cumpre mandados de busca e apreensão em BH e outros 10 municípios e investiga uso de empresas em esquema de fraude 

PF cumpre mandados em 11 cidades

PF cumpre mandados em 11 cidades

Reprodução/Polícia Federal

A Polícia Federal cumpre, nesta terça-feira (11), 14 mandados de busca e apreensão, 39 bloqueios de contas bancárias de empresas e 13 medidas cautelares contra responsáveis por empresas investigadas por fraudes no auxílio emergencial.

A operação Subitis Auxilium 2.0 mira investigados em 11 cidades mineiras: Belo Horizonte, Betim, Ituiutaba, Nova Serrana, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Carmo da Mata, Jacutinga, Uberlândia e Contagem.

A operação é fruto de uma estratégia integrada de combate a crimes contra desvios no auxílio emergencial que reúne uma série de instituições, como Polícia Federal, Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa Econômica Federal, Receita Federal, CGU (Controladoria-Geral da União) e Tribunal de Contas da União. 

A força tarefa identifica a ocorrência de fraudes massivas, por meio de organizações criminosas, contra o auxílio emergencial, benefício concedido pela União a pessoas de baixa renda impactadas pela pandemia. 

Investigação

A apuração da PF leva em conta a Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial, que reúne dados de comunicações de irregularidades referentes ao pagamento irregular do auxílio. As informações são analisadas pela Caixa, que é responsável pelo pagamento e pelos dados dos contribuintes beneficiados. 

De acordo com a PF, por meio de um cruzamento de dados foi possível identificar beneficiários de valores que são contestados e que foram usados para compras em estabelecimentos comerciais, seja por meio de cartão de crédito ou débito ou mesmo compras virtuais. 

Últimas