Minas Gerais Polícia apreende celular e cadernos de mulher achada morta em carro

Polícia apreende celular e cadernos de mulher achada morta em carro

A psicóloga Marilda dos Santos foi encontrada amarrada, dentro do carro, na garagem de casa, pelo marido em Pouso Alegre (MG)

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli e Célio Ribeiro*, do R7

Mulher estava amarrada dentro no porta-malas

Mulher estava amarrada dentro no porta-malas

Reprodução / Redes sociais

A Polícia Civil apreendeu um aparelho celular e cadernos na casa da psicóloga que foi encontrada morta dentro do porta-malas de um carro em Pouso Alegre, a 373 km de Belo Horizonte. O caso foi registrado no último domingo (22).

Segundo informações da Polícia Civil, os cadernos podem conter informações pessoais que ajudarão os investigadores a entender o que aconteceu nos últimos dias de vida de Marilda Matias Ferreira dos Santos. O aparelho celular também será periciado, já que a vítima teria mandado mensagens para o marido e para um amigo horas antes de ser morta.

Logo no dia em que o cadáver foi encontrado, a Polícia Civil já começou a colher depoimentos de familiares e pessoas próximas. O corpo passou pela necropsia e já foi sepultado. O órgão ainda não tem previsão de quando o inquérito será finalizado, já que alguns exames toxicológicos e clínicos têm um prazo maior para ficarem prontos.

Ponto cego

Segundo a assessoria da Polícia Civil, os investigadores coletaram imagens do circuito de segurança de uma escola de idiomas que fica ao lado da casa em que viviam a psicóloga e o marido dela, que é veterinário. Entretanto, a câmera possui um "ponto cego" que impede a visão de toda a fachada.

Segundo o órgão, o vídeo registra parte da garagem, mas não mostra o portão social do imóvel, que seria o local de maior interesse da equipe para desvendar os movimentos dentro da casa.

A Polícia Civil também tentou recuperar as imagens gravadas pelas câmeras de um outro imóvel vizinho à casa de Marilda, mas o HD que armazena os registros estava vazio. Ainda não se sabe porque isso aconteceu.

Encontrada no porta-malas

O corpo de Marilda Matias Ferreira dos Santos, de 37 anos, foi encontrado pelo marido, de 62 anos, no último domingo (22). Aos militares, o homem relatou ter saído de casa na manhã de sábado (21) para trabalhar em uma fazenda na cidade de Careaçu, a 40 km de Pouso Alegre. Segundo ele, a esposa já estava acordada.

Por volta de 10h30, a mulher mandou uma mensagem para o esposo dizendo que havia ido ao pet shop e, na volta, teria conseguido estacionar o carro de ré na garagem pela primeira vez.

Uma hora mais tarde, ela avisou o marido que iria pegar a bicicleta de um amigo para fazer uma trilha em uma área de mata e que voltaria até às 18h. O homem voltou para casa às 16h30, mas Marilda ainda não estava em casa. Por volta das 20h, ele começou a procurar pela mulher em hospitais da cidade e na delegacia.

Na manhã de domingo (22), o homem teria ligado para um amigo em comum, que afirmou ter falado no dia anterior com a psicóloga. Pelo telefone, Marilda teria afirmado que foi ameaçada por um grupo de homens na rua, enquanto ia ao pet shop. A mulher disse para o amigo que estava “sentindo medo” e que ia anotar a placa do carro dos suspeitos para registrar uma ocorrência.

O marido de Marilda decidiu então entrar no carro da esposa para ver se ela havia anotado a placa do carro citado. Ao abrir o porta-malas, o homem teria encontrado a mulher, já morta, com os pés e as mãos amarrados. Logo depois, o homem acionou a Polícia Militar.

A Polícia Civil esteve no local e não encontrou nenhum sinal de violência. No porta-malas, estavam um celular, um tablet, uma chave do carro, um capacete rosa, remédios e as cordas usadas para amarrar a vítima.

*​Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.

Últimas