Minas Gerais Polícia apreende toneladas de alimentos receptados na Grande BH

Polícia apreende toneladas de alimentos receptados na Grande BH

Toneladas de polvilho, óleo e ketchup foram encontrados em dois galpões de Contagem (MG); parte da carga pode ter sido desviada de uma empresa do PR

  • Minas Gerais | Luiz Casoni, da Record TV Minas, e Célio Ribeiro*, do R7

A Polícia Civil apreendeu toneladas de alimentos receptados em dois galpões na cidade de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Parte da carga teria sido desviada de uma empresa do Paraná.

Nos espaços, foram encontradas mais de 25 toneladas de polvilho azedo, quase 11 mil litros de óleo de soja, 50 caixas de cola e 600 caixas de ketchup. Nenhum dos produtos tinha documentação ou procedência comprovada. Três empresários foram detidos e vão responder por receptação.

A carga de polvilho pertence a uma empresa de produtos alimentícios que foi vítima de estelionato em junho deste ano. Já o óleo de soja faz parte de uma carga roubada na segunda-feira (2), na BR-262 em Araxá, a 370 km de Belo Horizonte. Os proprietários foram notificados e devem buscar as cargas roubadas nos próximos dias.

Carga roubada foi encontrada em galpões na Grande BH

Carga roubada foi encontrada em galpões na Grande BH

Divulgação / PCMG

Operação

A investigação, feita em conjunto com outros órgãos interestaduais, teve início na última quinta-feira (29), após a Depatri (Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas) ser informada de que parte da carga roubada estaria na região metropolitana da capital.

Veja: Quadrilha especializada em roubos de carga é presa em BH

A PC informou que uma quadrilha especializada em cometer esse tipo de crime é investigada em outros estados. Alguns empresários são suspeitos de encomendar o produto mesmo sabendo da origem ilegal. De acordo com o chefe do departamento, Cesar Matoso, o objetivo da equipe agora é identificar outros membros da organização criminosa.

— Nós queremos pedir a prisão preventiva dos integrantes e identificar o “braço violento” do grupo, responsáveis pelas ações contra os caminhoneiros nas estradas.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli.

Últimas