Minas Gerais Polícia apura se insumos da UFMG são usados para fabricar drogas

Polícia apura se insumos da UFMG são usados para fabricar drogas

Operação da Polícia Civil prendeu cinco pessoas no campus da universidade em Belo Horizonte nesta quarta-feira (22) por tráfico de drogas 

  • Minas Gerais | Matheus Renato Oliveira, do R7*, com Regiane Moreira, da Record TV Minas

Mandados de prisão foram cumpridos na Fafich

Mandados de prisão foram cumpridos na Fafich

Reprodução / Record TV Minas

Investigação da Polícia Civil, que culminou com a prisão de cinco pessoas nesta quarta-feira (22) na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), aponta que estudantes da universidade estariam usando insumos da própria instituição de ensino para fabricar e vender drogas. 

Segundo o delegado Rodolpho Thadeu, as investigações acontecem há três meses e apontam que o tráfico de drogas no campus acontece há muitos anos, justamente porque tanto os traficantes quanto os usuários consideram a área como "sem lei".

— As forças de segurança tem que atuar. Por mais que a gente sofra resistência de movimentos, a lei tem que ser cumprida pra todos e em todos os lugares.

Nesta quarta-feira (22), cinco pessoas foram presas, suspeitas de tráfico de drogas na UFMG. De acordo com a Polícia Civil, eles são investigados há três meses e muitos dos envolvidos com drogas no campus não são alunos da instituição.

Os cinco presos foram levados para a delegacia junto com a droga apreendida. Delegados de duas delegacias de Belo Horizonte programaram uma operação para o mesmo dia, em dois pontos distintos da universidade.

No prédio da Fafich (Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas), os investigadores cumpriram um mandado de prisão e três mandados de busca e apreensão nos diretórios acadêmicos de História, Psicologia e Filosofia. No DA (Diretório Acadêmico) de Filosofia, a polícia encontrou droga e prendeu três suspeitos, que não são alunos da instituição.

As 144 buchas de maconha e um tablete de 600 gramas estavam em bolsas, dentro de um armário. Uma sala que, segundo o delegado Rodolpho Thadeu, tem todas as características de uma boca de fumo.

— Tudo sujo, poltronas antigas, muita sujeira, muita bolsa.

Em novembro do ano passado um estudante de química da UFMG foi preso suspeito de fabricar e vender, no campus, drogas especiais. O universitário recebia produtos de países da Europa e preparava as misturas em casa.

À Record TV, a UFMG informou que "a direção da Universidade vem cooperando com as autoridades competentes com relação a um problema que atinge toda a sociedade. A UFMG reitera que não compactua com práticas ilegais e que ferem a dignidade humana e reafirma a permanente disposição em cooperar com as autoridades".

* Estagiário do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas