Minas Gerais Polícia conclui que mãe asfixiou bebê antes de jogá-lo em lixeira

Polícia conclui que mãe asfixiou bebê antes de jogá-lo em lixeira

Mulher asfixiou bebê e guardou corpo em guarda-roupa antes de ir em shopping; suspeita queria esconder bebê, fruto de uma relação extraconjugal

Mulher jogou corpo de bebê em banheiro de shopping

Mulher jogou corpo de bebê em banheiro de shopping

Record TV Minas

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu a investigação sobre o corpo de um bebê de 37 semanas encontrado dentro da lixeira de um shopping em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A perícia concluiu que o bebê, do sexo feminino e com 37 semanas de vida, foi morto por asfixia.

De acordo com a delegada Elisa Moreira, a suspeita foi identificada pelas imagens da câmera de segurança. A mulher afirmou que ninguem da família sabia da gravidez e que ela se esforçou para que ninguém suspeitasse.

Veja: Mais um bebê com menos de 1 ano morre de covid-19 em Minas Gerais

Inicialmente, a mulher disse que a criança nasceu sem vida e que ela teria guardado o corpo em um guarda roupa. Horas depois, o companheiro dela a convidou para ir ao shopping e ela aproveitou a oportunidade para descartar o corpo da criança.

Em relatos seguintes, a mulher disse que a gravidez teria sido fruto de um relacionamento extraconjugal e ela não podia deixar que seu companheiro soubesse disso. A intenção dela era ter a criança em uma cidade do interior, mas o bebê nasceu antes do esperado e ela optou por matar o recém nascido.

O inquérito policial foi enviado à Justiça na última sexta-feira (14). A suspeita está presa e foi indiciada por homicído qualificado por motivo fútil e por asfixia, além de ocultação de cadáver. A pena da mulher poderá ser aumentada pelo fato da vítima ser menor de 14 anos.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Flavia Martins y Miguel.

Últimas