Minas Gerais Polícia procura suspeito de matar amigo de infância em um bar de BH

Polícia procura suspeito de matar amigo de infância em um bar de BH

Wellington era pintor e também trabalhava em um bar, onde foi assassinado a tiros; crime teria sido motivado por briga envolvendo ex de suspeito

  • Minas Gerais | Regiane Moreira, da Record TV Minas

A Polícia Civil investiga o assassinato de um pintor e funcionário de um bar no bairro Vila Pinho, na região do Barreiro, em Belo Horizonte. O suspeito do crime é um amigo de infância da vítima.

De acordo com o boletim de ocorrência, do dia 12 de novembro, Wellington Gustavo Pereira, de 30 anos, chegava para trabalhar em um bar da região quando foi morto com cinco tiros. Os disparos atingiram o tórax, pescoço, braço direito e as costas. O crime foi cometido durante a tarde, em plena luz do dia.

Veja: Jovem mata amigo que se recusou a entrar para gangue na Grande BH

Ainda segundo o boletim, o principal suspeito é um homem que seria amigo de infância da vítima. Eles teriam se desentendido duas semanas antes, quando Pereira apoiou a ex-mulher do suspeito durante uma briga, dentro do bar em que trabalhava. A mulher estaria namorando a vítima, fato que teria motivado o suspeito a matar o pintor.

Wellington era pintor e também trabalhava em um bar

Wellington era pintor e também trabalhava em um bar

Reprodução / Record TV Minas

A Polícia Militar informou que foi até a casa do suspeito e também até a residência de seus pais, mas ninguém foi encontrado. A reportagem da Record TV Minas tentou entrar em contato com o acusado, mas o celular dele estava desligado.

“Desespero”

Os familiares de Pereira estão revoltados com o crime. A mãe da vítima, Angela Maria Martins, confessa que não teve coragem de ir até o local onde o corpo estava e só viu seu filho dentro do caixão. A aposentada afirma que o pintor já vinha sendo ameaçado e que o assassinato era questão de tempo.

— Ele já tinha feito ameaças. Todo mundo sabia que ele ia matar meu filho, mas ele não acreditava. Achava que, por ser amigo de infância, ele não faria nada.

Veja: Ex-policial é suspeito de matar mais de 20 "amigos" no Norte de Minas

A irmã da vítima Rosilene Martins, conta que a ex-mulher do suspeito e atual namorada de Pereira era a proprietária do bar. O acusado achava que o amigo havia se tornado proprietário do local, e a prosperidade dos negócios teria causado inveja no homem.

Família está revoltada e não quer que crime fique impune

Família está revoltada e não quer que crime fique impune

Reprodução / Record TV Minas

— Tudo foi por causa do bar, nem tanto por causa da mulher. Ele achava que meu irmão tinha tomado o bar dela, mas na verdade eles fizeram um empréstimo juntos e conseguiram administrar o local, que estava fazendo bastante sucesso.

A dona do bar, Juliana Soares, negou ter uma relação com o pintor e também descartou a possibilidade de seu ex-marido ter ciúmes dela. Segundo Juliana, apenas o suspeito pode falar a real motivação do crime.

— Ele já estava com outra mulher, estava feliz. O motivo do crime só ele sabe, ninguém aqui sabe.

A mãe do pintor, Dona  ngela, tem vivido a base de remédios desde que o filho foi assassinado. Ela quer que o suspeito seja identificado e pague pelos seus crimes. Emocionada, a irmã da vítima sofre por ver a mãe tão triste e afirma que vai buscar justiça.

— É difícil ficar aqui, ver minha mãe desse jeito. Isso não pode ficar assim, alguém precisa nos ajudar.

Últimas