Marília Mendonça

Minas Gerais Polícia retoma investigação sobre acidente com Marília Mendonça

Polícia retoma investigação sobre acidente com Marília Mendonça

Delegado afirma que suspensão do trabalho por imbróglio judicial não afetou o inquérito; morte completou seis meses

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Acidente aconteceu no interior de Minas Gerais

Acidente aconteceu no interior de Minas Gerais

Reprodução/Redes sociais

A Polícia Civil de Minas Gerais informou, no fim da tarde desta quinta-feira (5), a reabertura da investigação sobre o acidente aéreo que matou a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas, em novembro de 2021. O anúncio foi feito na data em que a tragédia completou seis meses.

Conforme divulgado pelo R7, o inquérito estava suspenso devido a um imbróglio judicial desde o início de abril passado. No início desta semana, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) pôs fim ao impasse, determinando que o caso fique na Justiça mineira, mas a Polícia Civil ainda aguardava o recebimento dos autos para retomar a apuração.

"Durante esse período de análise no STJ, não houve qualquer prejuízo à investigação, tendo em vista que essa investigação perpassa pela Polícia Civil e pela Força Aérea Brasileira. Embora sejam órgãos independentes e com investigações autônomas, elas se complementam, na medida em que a Polícia Civil encaminha elementos informativos para a FAB e a FAB encaminha laudos periciais da aeronave para a Polícia Civil", explicou o delegado Ivan Sales.

O inquérito da Polícia Civil tem como objetivo identificar eventual responsabilidade sobre o acidente. Já a FAB, por meio do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), tem como responsabilidade apontar a causa do acidente e indicar sugestões para evitar que outras tragédias como essa ocorram.

"Ainda nesta semana, [a Polícia Civil] solicitará à Força Aérea Brasileira o encaminhamento dos laudos já concluídos", destacou o delegado.

O acidente

O bimotor King Air C90 prefixo PT-ONJ saiu do Aeroporto de Santa Genoveva, em Goiânia, e caiu um minuto antes de pousar no Aeroporto de Caratinga, a 243 km de Belo Horizonte, na tarde do dia 5 de novembro de 2021. Marília Mendonça, então com 26 anos e com um filho de quase 2 anos, faria um show na cidade naquela noite.

Além de Marília, estavam a bordo o tio e assessor de sertaneja, Abicieli Silveira Dias Filho; Henrique Ribeiro, produtor da artista; o piloto Geraldo Martins de Medeiros; e o copiloto Tarciso Pessoa Viana. Todos morreram.

Segundo a investigação, antes de atingir o solo, a aeronave bateu em um cabo das torres de energia da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) que ficam próximas ao aeródromo. A causa da colisão ainda não foi esclarecida.

Últimas