Minas Gerais Professores e servidores da rede estadual de MG entram em greve

Professores e servidores da rede estadual de MG entram em greve

Funcionários cobram pagamento do piso salarial; categoria diz que paralisação deve acontecer até, ao menos, o dia 16 de março

  • Minas Gerais | Laura Baraldi, da Record TV Minas

SindUTE/MG confirmou a greve nesta quarta (9)

SindUTE/MG confirmou a greve nesta quarta (9)

FOTOSTUDIUM / SINDUTE/MG

Em reunião realizada nesta terça-feira (8), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, os servidores da rede estadual de educação anunciaram greve a partir dessa quarta (9). A ação foi confirmada pelo SindUTE/MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais).

A categoria prevê paralisação até, ao menos, o dia 16 de março, quando se reunirão para nova assembleia. Ainda não há um balanço da adesão ao movimento. Os profissionais reivindicam do Governo Estadual o cumprimento do Piso Salarial da Educação.

De acordo com o SindUTE/MG, o piso salarial foi reajustado em 2022 está em R$ 3.845,63, mas o governo Zema paga às professoras e professores da Rede Estadual apenas R$ 2.135,64.

Procurado, o Governo de Minas disse que respeita o movimento e que segue negociando com a categoria. "Ressaltamos que no dia 24 de fevereiro, o governador Romeu Zema anunciou o reajuste geral de 10,06% nos salários de todo o funcionalismo público de Minas Gerais. A medida consta de projeto de lei, encaminhado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que prevê que o reajuste correspondente às perdas inflacionárias seja pago a partir da folha de maio – quitada em junho. A medida vale para os servidores ativos, inativos e pensionistas da administração direta e indireta do Estado. Para a área da Educação, o pagamento será retroativo a janeiro deste ano", destacou em nota.

Últimas