Psicóloga pode responder por compartilhar vaga racista em MG

Anúncio de emprego para cuidadoras vetava a participação de "negras e gordas"; moradora de Ribeirão das Neves denunciou a mensagem

Anúncio especificava exigências para o cargo

Anúncio especificava exigências para o cargo

Reprodução / Record TV Minas

A Polícia Civil informou, nesta quinta-feira (14), que a psicóloga que compartilhou o anúncio de uma vaga de emprego que vetava a candidatura de mulheres "negras e gordas", em Belo Horizonte, pode respoder pelo crime de racismo.

Em contato com a reportagem, nesta quarta-feira (13), a profissional explicou que apenas repassou o anúncio feito pela empresa Home Angels Centro-Sul, que atua na capital mineira. Ainda segundo a delegada responsável pelo caso, todos os envolvidos podem ser citados no inquérito.

O texto indicava que eram procuradas 10 cuidadoras para trabalharem como plantonistas, recebendo R$ 100 por dia, incluindo o vale-transporte. "Únicas exigências: não podem ser negras, gordas e precisam de pelo menos 3 meses de experiência", disse a mensagem.

O alerta de vaga foi enviado pela psicóloga que faz treinamento para cuidadores na capital e que costuma compartilhar anúncios de oportunidades para pessoas que trabalham na área.

Cuidadora se sentiu ofendida com o anúncio

Cuidadora se sentiu ofendida com o anúncio

Reprodução / Record TV Minas

O caso foi denunciado pela cuidadora de idosos Elisângela Carlos Lopes, de 41 anos, que prestou depoimento nesta manhã. Em conversa com o R7, nesta quarta-feira (13), Elisângela Carlos Lopes explicou que procurou a polícia após se sentir ofendida com a mensagem recebida via transmissão de WhatsApp. A mulher, que mora em Ribeirão das Neves, uma das cidades com maior índice de pobreza da Grande BH, acredita que o anúncio foi preconceituoso.

— Ao ler este anúncio, eu deduzi que eu, que sou negra, semianalfabeta, moradora de Ribeirão das Neves e com 41 anos, vou ficar fora do mercado de trabalho se precisasse da vaga.

Na delegacia, nesta manhã, a cuidadora contou que terá dificuldades para esquecer o caso.

— Tenho ranço da sociedade hipócrita que só de ver o negro entrar ou passar já intitula que a gente é incapaz de exercer qualquer profissão.

De acordo com Elisângela, a psicóloga que compartilhou o anúncio se desculpou logo após ser questionada sobre o teor da mensagem. A reportagem entrou em contato com a profissional, que preferiu não se manifestar sobre o episódio. 

Procurada, a Home Angels informou que tomou conhecimento do caso e que repudia o ocorrido. Segundo a empresa, o recrutamento teria sido feito por uma franquia da marca, que tem administração independente. Em nota, a companhia informou, ainda, que está realizando ações para que sejam aplicadas as medidas cabíveis ao funcionário responsável pela publicação.

Por meio de nota, a franquia citada no anúncio repudiou o conteúdo da mensagem e destacou que não é condizente com "ato discriminatório no tocante ao peso, estatura ou a qualquer outra característica física de seus prestadores de serviços". A empresa negou que haja critérios de porte físico para a contratação dos funcionários e está apurando os possíveis desvios de contuda por parte da equipe.

Veja a íntegra da nota da Home Angels Centro-Sul BH:

"Primeiramente, a empresa acima citada, atuante no segmento de cuidadores de pessoas em domicílio há mais de 8 anos na capital mineira, esclarece que repudia com veemência todo e qualquer ato de injúria racial ou racismo, em todas as suas formas de manifestação. Da mesma forma, a empresa repudia, com a mesma veemência, todo e qualquer ato discriminatório no tocante ao peso, estatura ou a qualquer outra característica física de seus prestadores de serviços.

Ressaltamos que inexiste qualquer requisito para contratação de seus funcionários e/ou prestadores de serviços, salvo a avaliação quanto a aptidão técnica, qualificação e experiência profissional dos candidatos à vagas porventura existentes. 

Informa-se ainda que a empresa não possui qualquer vínculo jurídico com a psicóloga citada na reportagem, ressaltando que a mesma jamais compôs o quadro de funcionários da empresa, não sendo autorizada a emitir qualquer juízo de valor em nome desta.

Noutro tanto, a empresa informa que está apurando todo e qualquer desvio de conduta profissional de seus funcionários, noticiados na reportagem, adotando-se a cautela exigida, visando repelir com o devido RIGOR, o objeto das denúncias em apuração. De certo, a empresa “HOME ANGELS - CENTRO SUL” enfatiza que não coaduna com o teor da mensagem citada na reportagem e tomará as medidas cabíveis."