Minas Gerais Secretário de Zema diz que gestão Pimentel desviou bolsas de pesquisa

Secretário de Zema diz que gestão Pimentel desviou bolsas de pesquisa

Em vídeo, Otto Levy fala que bolsistas eram contratados para fazer pesquisas, mas estavam sendo direcionados para o comitê de candidato ao Senado

Reunião aconteceu na última semana

Reunião aconteceu na última semana

Reprodução / Instagram

Um vídeo mostra o secretário de Estado de Planejamento Otto Levy Reis falando que a gestão do ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), teria usado bolsas destinadas a pesquisas científicas para contratar funcionários para o comitê de campanha do então candidato petista ao Senado, Miguel Corrêa.

A gravação foi feita no dia 14 de março, durante um encontro do secretário com o deputado estadual Cleiton Azevedo (PPS). O parlamentar conta que procurou o representante do Governo após receber reclamações de estudantes que foram prejudicados pela decisão de suspensão de verbas destinadas à pesquisa, divulgada no dia 22 de fevereiro.

— Ele nos procuraram porque queriam diálogo para resolver a situação, então eu repassei a demanda para o Governo.

Na conversa, Reis também deixa a entender que beneficiados pelas bolsas teriam sido levado para trabalhar na administração pública.

"Bolsa da Fapemig nós estamos reavaliando porque tem mais de 5 mil bolsas aqui. Só que nós levantamos que mais da metadde das bolsas estavam sendo usadas pelo Governo Pimentel, que ele contratou gente e colocou para trabalhar aqui [no Governo] ou no Comitê do Miguel Correa. Nós estamos chamando um por um e levantando quem é quem. Depois, vamos soltar quantas dessas pessoas não estão pesquisando nada e são funcionários aqui. Vamos tirar estas pessoas", sic.

O deputado Cleiton Azevedo (PPS) disse ao R7 que procurou o Ministério Público para passar a situação e que sua equipe deve se encontrar com promotores nos próximos dias.

Procurado, o diretório do PT em Minas Gerais informou que não pode comentar as ações do governo passado. A reportagem não localizou a assessoria do ex-governador Fernando Pimentel.

A assessoria de Miguel Corrêa disse que a informação sobre o uso de bolsistas em seu comitê é falsa, já que o mesmo nunca existiu e que a campanha ao senado foi feita pelas redes sociais. O ex-secretário ressaltou que sempre prestou contas aos órgãos reguladores e fiscalizadores e quem nenhum momento irregularidades foram encontradas. Todos os projetos tinham prestações de contas anuais e em eventos públicos (FINIT E SUMMIT) para que a população de Minas pudesse acompanhar os resultados.

O R7 também tentou contato com a Fapemig (Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais), que é responsável por administrar o dinheiro das bolsas, mas ainda não teve retorno.