Sequestrador de gerente bancário e familiares em BH é condenado

Homem foi condenado a 43 anos e meio de prisão por sequestro, roubo e extorsão de um gerente do Banco do Brasil e seus familiares em 2019

Condenação sai 17 meses após sequestro

Condenação sai 17 meses após sequestro

Robert Leal / TJMG

O TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) condenou a 43 anos e meio de prisão um dos envolvidos no sequestro de um gerente do Banco do Brasil, dos pais dele, da namorada e de um amigo. O caso aconteceu em fevereiro de 2019.

Além do sequestro, o homem foi condenado pelos crimes de roubo e extorsão. Ele também terá que pagar uma indenização de R$ 5 mil para cada uma das cinco vítimas. Os outros três acusados foram absolvidos por “ilegalidade na obtenção de provas”.

Relembre o caso

Em 19 de fevereiro de 2019, o acusado recebeu ordens de pessoas de dentro de um presídio na Grande BH para sequestrar um funcionário do Banco do Brasil que havia sido promovido recentemente à gerência da unidade.

O criminoso começou a vasculhar o celular do bancário e decidiu sequestrar os pais do homem, que moravam em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. O casal foi levado para um cativeiro em Ribeirão das Neves, também na Grande BH.

No dia seguinte, os criminosos voltaram à casa do bancário para roubar objetos de valor, e encontraram a namorada do sequestrado e um amigo, que estranharam o sumiço do homem. Os dois também foram sequestrados e levados para o cativeiro.

Os criminosos ordenaram que o bancário voltasse à agência, explicasse que a família estava correndo risco de vida e pegasse todo o dinheiro no cofre. Os colegas de trabalho estranharam a atitude e chamaram a Polícia Militar. Logo depois, os bandidos fugiram.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli