Minas Gerais Suspeito de matar namorada em hotel no centro de BH é preso

Suspeito de matar namorada em hotel no centro de BH é preso

O homem, que tinha união estável com outra mulher, confessou o crime; ele forjou a morte da mãe para atrair a vítima

  • Minas Gerais | Luiz Casoni e Akemi Duarte, da Record TV Minas

Vítima foi morta com um fio de telefone

Vítima foi morta com um fio de telefone

Reprodução/Record TV Minas

A Polícia Civil prendeu o homem suspeito de matar a namorada em um hotel no centro de Belo Horizonte no fim de setembro. A vítima teria sido estrangulada com um fio de telefone.

A técnica de enfermagem Ana Paula Pires, de 45 anos, foi assassinada no dia 29 de setembro. Ela havia chegado ao hotel na semana anterior, acompanhada do suspeito.

Segundo os investigadores, o homem, que não teve o nome nem a idade divulgados, vivia em união estável com outra mulher, mas estaria se relacionando com Ana Paula havia 6 meses. Ele teria prometido à vítima que iria se separar da esposa para ficar com ela. Já ela acreditava que o homem só continuava vivendo com a esposa porque ela teria uma doença grave.

Segundo a delegada Ingrid Estevam, a relação entre Ana Paula e o acusado não era aprovada pela família da vítima, que queria que ela terminasse o namoro. Além disso, o homem teria o hábito de fazer festas e "ostentar", mas a vítima desconfiava que ele não tinha tanto dinheiro assim.

— Ele alugava sítios, fazia festas, andava com motorista. A vítima desconfiou quando, durante uma festa em um sítio, os proprietários do imóvel foram atrás dele para cobrar o aluguel do local.

Término

Ana Paula teria decidido terminar a relação por não aceitar mais as mentiras. No entanto, segundo a delegada, ela concordou em se encontrar novamente com o suspeito após ele alegar que precisava de ajuda para resolver um problema familiar. Para atrair a vítima, ele forjou a morte da mãe.

— Alguém, talvez um amigo dele, conversou com Ana Paula pelo telefone passando-se pelo pai dele. A pessoa teria pedido que ela não abandonasse o homem agora [após a morte da mãe] e ainda prometeu a ela um salário mensal de R$ 12 mil.

A técnica de enfermagem foi encontrada morta por uma camareira que havia ido ao quarto para cobrar uma diária atrasada. Ela teria sido dopada e estrangulada com um fio de telefone. Coincidentemente, no dia seguinte, a vítima começaria em um novo emprego.

O suspeito foi visto saindo sozinho do hotel horas antes de o corpo ser encontrado. Ele foi preso no dia 13 de outubro, mas a informação só foi divulgada agora pela Polícia Civil. Segundo a delegada, o homem confessou o crime, mas alegou legítima defesa.

— Ele tenta se passar por uma pessoa boa, afirmando que voltaria com a esposa e que terminaria com a Ana Paula. Segundo ele, a vítima não aceitou o término e os dois entraram em luta corporal. Então, na visão dele, foi legítima defesa.

Últimas