Minas Gerais Veterinário é multado por maus-tratos em clínica da Grande BH

Veterinário é multado por maus-tratos em clínica da Grande BH

Marcelo Dayrell e esposa são investigados por procedimentos desnecessários em clínica; casal chegou a ser preso em 2019

  • Minas Gerais | Raquel Rocha, da Record TV Minas; Giovana Maldini*, do R7

Um veterinário foi condenado ao pagamento de uma multa de R$ 2 mil e sofreu uma censura pública pelo CRMV-MG (Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais). Com isso, os erros médicos provocados por Marcelo Dayrell serão tornados públicos pelo colegiado. A esposa dele, Franciele dos Santos, também investigada por maus-tratos a animais em uma clínica de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, ainda será julgada. 

Casal de veterinários é investigado por maus-tratos

Casal de veterinários é investigado por maus-tratos

Reprodução / Record TV Minas

Em nota, o Conselho afirmou que a decisão é de primeira instância e que o veterinário poderá recorrer da medida. 

Marcelo e Franciele são suspeitos de realizar procedimentos desnecessários para aumentar o lucro da clínica veterinária e até congelar animais mortos enquanto os donos continuavam a pagar pela internação.

O homem chegou a ser preso durante uma semana, em 2019, mas a Justiça concedeu o habeas corpus e ele foi solto. Uma outra decisão judicial autorizou o casal a exercer a profissão novamente. Os veterinários passaram a atender em uma outra clínica na região Centro-Sul de Belo Horizonte, sem dia e horário fixos.

Defensores de animais fizeram um protesto silencioso com faixas, nesta terça-feira (18), em frente ao Conselho Regional de Medicina Veterinária, cobrando providências.

O caso

A clínica veterinária de Marcelo Dayrell, em Nova Lima, foi investigada pela Operação Arca de Noé, em 2019, pelo descarte irregular de lixo veterinário junto com o lixo comum. Mas no decorrer das investigações, vários crimes foram descobertos, incluindo o de maus-tratos contra os animais atendidos no local.

De acordo com as investigações da época, os veterinários realizavam diagnósticos errados, transfusões de sangue desnecessárias em animais que iam para tomar banho e tosar e medicamentos vencidos.

A Operação também investigou crimes como lavagem de dinheiro, estelionato e formação de quadrilha. Marcelo foi preso no dia 22 de novembro de 2019 e Franciele estava foragida, mas depois foi presa na região metropolitana de São Paulo. 

Os advogados da veterinária já tinham entrado com um pedido de habeas corpus na época, e foi atendido no mesmo dia da prisão dela. Marcelo também foi solto em 2019 por decisão liminar.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas