Minas Gerais Vice-prefeito de Mariana (MG) é suspeito de estuprar mulher em festa de aniversário 

Vice-prefeito de Mariana (MG) é suspeito de estuprar mulher em festa de aniversário 

Festa aconteceu em Nova Lima, na Grande BH, e vítima procurou a delegacia no dia seguinte; político nega acusação

  • Minas Gerais | Do R7, com Núbia Roberto, da Record Minas

Prefeitura diz que acompanha os fatos

Prefeitura diz que acompanha os fatos

Reprodução / Record Minas

O vice-prefeito de Mariana, a 110 km de Belo Horizonte, Cristiano da Silva Vilas Boas (PT), é suspeito de estuprar uma mulher em uma festa de aniversário. O crime teria acontecido em uma festa em Nova Lima, na mesma região, na madrugada deste domingo (3). Ele foi ouvido pela polícia e liberado.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima saiu com um casal de amigos para uma festa de aniversário, local onde conheceu Cristiano. Ela conta que, inicialmente, teria recusado as investidas do político, mas que, em certo momento, o teria beijado. Segundo o relato, ela teria voltado a aproveitar a festa sem ter nenhum outro contato com ele.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

A vítima relatou aos militares que fez uso de bebidas alcoólicas e drogas. Em determinado momento, ela teria dormido no sofá da casa. Ela conta que foi acordada por Cristiano, que sugeriu a ela que fosse dormir em um quarto. A vítima conta que o político a deixou no cômodo e saiu. 

Aos militares, ela disse que acordou, no dia seguinte, sem as roupas íntimas e com o vice-prefeito passando a mão pelo seu corpo. Ela teria perguntado o que ele estava fazendo, e ele respondeu que houve uma química entre eles e que ela tinha consentido com a relação. A estudante saiu do local da festa e foi até a UPA Ibirité, onde foi medicada e encaminhada para a delegacia.

O vice-prefeito se pronunciou por meio de suas redes sociais dizendo que está sendo injustamente acusado e que "não houve prisão, como foi falsamente divulgado, por não serem apresentadas provas nem testemunhas que corroborassem a acusação. Nem mesmo as testemunhas convidadas pela pessoa que me acusa confirmaram a versão dada por ela". Ainda na mesma publicação, Cristiano Vilas Boas vinculou um documento da Polícia Civil em que informava que ele não havia sido preso em flagrante.

Por meio de nota, a assessoria da Prefeitura de Mariana informou que a administração municipal acompanha os fatos, e as acusações "são relacionadas à conduta privada do senhor Cristiano Vilas Boas e, certamente, será apurada pelas autoridades competentes". Além disso, a prefeitura disse que cabe ao político "esclarecer as acusações e cumprir com as obrigações legais correspondentes".

A reportagem procurou a Polícia Militar, que informou que o posicionamento é de responsabilidade da Prefeitura de Mariana. A Polícia Civil disse que as investigações continuarão em andamento pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Nova Lima.

Confira a nota do vice-prefeito na íntegra: 

"Em respeito a toda população e as pessoas que estão enviando mensagens preocupadas e para desmentir as fake news que estão sendo divulgadas, inclusive com montagem de boletins de ocorrência em grupos, que já estão sendo registradas, segue despacho da Delegada da Polícia Civil que acompanhou o caso em que estou sendo injustamente acusado, demonstrando que não houve prisão como foi falsamente divulgado, por não serem apresentadas provas e nem testemunhas que corroborassem a acusação. Até mesmo as testemunhas convidadas pela acusadora desmentiram as alegações dela." 

Últimas