Minas Gerais Vigilante é morta a tiros dentro do Ministério da Agricultura em BH

Vigilante é morta a tiros dentro do Ministério da Agricultura em BH

Suspeito é colega de trabalho da vítima e estaria passando por instabilidade emocional; Polícia investiga a motivação do crime

  • Minas Gerais | Vinícius Araújo, da Record TV Minas

Vigilante foi morta no local de trabalho em BH

Vigilante foi morta no local de trabalho em BH

Reprodução

Um porteiro do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) é suspeito de matar a colega de trabalho, a tiros, na manhã desta quarta-feira (29), na sede do órgão em Belo Horizonte, no bairro bairro Cidade Jardim, na região Centro-Sul da capital mineira.

Testemunhas relataram que José Martins Dutra, de 44 anos, teria chegado para o trabalho um pouco mais cedo do que o normal e estaria carregando uma bolsa. De acordo com a polícia, ele entrou no vestiário que a vítima utilizava, pegou a arma que ela usava para trabalhar e atirou contra a colega, Maria Rita Pereira da Silva, de 46 anos.

Segundo informações da polícia, o homem teria fugido com a arma da vítima no sentido Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele teria sido visto entrando em um ônibus.

Veja também: Trabalhador liga para o chefe pedindo perdão após matar colega

A motivação do crime é desconhecida, mas as informações iniciais apotam para possível problema no convívio profissional entre os dois. Funcionários relataram para a polícia que o suspeito apresentava instabilidade emocional. Mauro Lúcio Junior, major da Polícia Militar, detalha os relatos recolhidos.

— Alguns colegas de serviço contaram que ele estava irritado com algum tipo de brincadeira, mas essa funcionária não fazia isso. Ela teria feito algum tipo de reclamação das atitudes dele. E isso deve ter chegado até ele. Mas é só um indício.

De acordo com a PM, o suspeito trabalhava desarmado, realizando serviços de porteiro, como medição de temperatura seguindo os protocolos da covid-19.  

Os investigadores da Polícia Civil estiveram no local e os trabalhos de perícia serão realizados.

Procurado, o Mapa lamentou o ocorrido e informou que vai colaborar com as investigações. "O fato citado aconteceu com dois funcionários de uma empresa terceirizada que presta serviços de vigilância para a Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais. O Ministério da Agricultura lamenta o ocorrido e está colaborando na realização das perícias e investigações necessárias para o trabalho da Polícia", destacou a pasta em nota.

Últimas