Minas Gerais Vinte pessoas morrem nas UPAs de BH aguardando leito, diz sindicato

Vinte pessoas morrem nas UPAs de BH aguardando leito, diz sindicato

Nas duas últimas semanas, 88 pessoas morreram nas unidades, 20 delas estariam aguardando transferência para uma UTI

Na última semana, corpo de vítima de covid-19 ficou exposto em UPA de BH

Na última semana, corpo de vítima de covid-19 ficou exposto em UPA de BH

Reprodução

Ao menos 20 pessoas que esperavam por um leito de terapia intensiva em hospitais de Belo Horizonte morreram nas últimas duas semanas nas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) da capital mineira. A denúncia é do Sindibel (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte). 

De acordo com o sindicato, entre 26 de março e 6 de abril, 88 pacientes morreram nas UPAs e, ao menos 20 aguardavam na fila de espera por uma vaga em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). 

"Se antes, a média de mortes era de 1 ou 2 por semana em cada UPA, nas últimas semanas nós constatamos que já são pelo menos 10 óbitos em cada unidade por semana", diz nota assinada pelo Sindibel.

De acordo com o sindicato, a Prefeitura de Belo Horizonte e a Secretaria Municipal de Saúde foram notificadas sobre a "situação de catástrofe" no sistema de saúde municipal. 

Ato simbólico

O sindicato realiza, nesta quarta-feira (7), Dia Mundial da Saúde, um ato simbólico em todas as UPAs de Belo Horizonte para denunciar a situação de colapso no sistema de saúde da capital mineira. 

Últimas