Violência contra a mulher aumentou 1.900% em oito anos em Minas

Pesquisa revelou que entre 2009 e 2017 os registros de agressão subiram de 2.020 para 40.046; entre janeiro e outubro deste anos foram 121.977 casos

Este ano já foram registrados cerca de 121 mil ocorrências

Este ano já foram registrados cerca de 121 mil ocorrências

A8SE

Um levantamento divulgado nesta semana pelo Instituto Igarapé, que atua em questões relacionadas à segurança pública, revelou que, entre 2009 e 2017, Minas Gerais viveu uma epidemia de casos de violência contra a mulher.

Segundo a pesquisa, o número de vítimas que procuraram o sistema público de saúde cresceu cerca de 1.900%. A investigação mostrou que, em oito anos, os registros de agressão à mulher subiram de 2.020 para 40.046.

Segundo a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), entre janeiro e outubro deste ano, foram 121.977 casos de violência doméstica e familiar, cerca de 401 ocorrências por dia.

De acordo com a advogada e co-fundadora de um projeto que conecta advogados a mulheres em situação de vulnerabilidade, Aline Costa, o aumento de registros deu mais coragem para as vítimas.

—  Hoje, pela facilidade do acesso à informação e de uma maior conscientização, as mulheres não estão aceitando a violência. Pelas políticas públicas eficazes de apoio às vítimas, essas mulheres estão se sentindo um pouco mais seguras em denunciar.

Para denunciar as agressões, a vítima pode acionar a Polícia Militar para fazer o Boletim de Ocorrência ou procurar a Delegacia de Mulheres, da Polícia Civil. A vítima ou testemunhas podem ligar no número 180 e fazer uma denúncia de forma anônima.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Lucas Pavanelli