Minas Gerais Zema entra com novo pedido de cidadania italiana, após fraude

Zema entra com novo pedido de cidadania italiana, após fraude

Segundo advogado do governador de Minas, que teve o passaporte cancelado há seis meses, processo de reconhecimento foi regularizado, na Itália

Romeu Zema teve o passaporte cancelado, em 2018

Romeu Zema teve o passaporte cancelado, em 2018

Reprodução Facebook

O advogado do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), informou, nesta quinta-feira (4), que está na Itália para regularizar o processo de reconhecimento de cidadania italiana do político. Zema teve o passaporte italiano cancelado, em 2018, após uma fraude descoberta pelo governo italiano nos processos envolvendo brasileiros. 

O advogado Eduardo Chelotti afirmou, no entanto, que o processo que cancelou o passaporte de Zema trata-se de um "conflito processual nas prefeituras no que diz respeito ao tempo mínimo de residência para a abertura dos processos na Itália".

— É uma divergência na interpretação da lei. Estas práticas serão julgadas pelo Tribunal de Milão, em maio.

Ainda segundo Chelotti, mesmo esperando um desfecho favorável no próximo mês, o governador optou por refazer o processo por via consular. Segundo ele, é preciso tomar cuidado com as "acusações de fraude".

— O fato de procurar uma via mais célere não se configura em fraude. 

O caso

Um grupo de sete brasileiros foi preso na província de Verbania e Novara, na região de Piemonte, norte da Itália. Eles são acusados de falsificar documentos para obtenção de cidadania italiana. A polícia italiana,que investiga o caso há um ano, apura ainda a possível participação de um padre italiano, de uma paróquia de Pádua, no esquema.

De acordo com as investigações, conduzidas no âmbito da Operação Santos, pelo menos 800 falsas cidadanias italianas foram obtidas por meio do esquema que, segundo apurações preliminares, movimentou cerca de €5 milhões, mais de R$ 20 milhões. Somente em Minas, 300 pessoas tiveram o passaporte cancelado, entre elas, o governador Romeu Zema. 

Os documentos falsos deverão ser imediatamente revogados.

A investigação, denominada Esquadrão de Voo, identificou que o esquema envolvia fraudes em cartórios de tal forma que os brasileiros aparecessem como moradores das províncias de Verbania e Novara.

*estagiário do R7 com supervisão de Flavia Martins y Miguel