Atletas da Série C pedem auxílio da CBF para combater crise financeira

Capitães das equipes assinaram comunicado em conjunto requisitando contribuição da entidade

Capitães das equipes assinaram comunicado em conjunto requisitando contribuição da entidade

Capitães das equipes assinaram comunicado em conjunto requisitando contribuição da entidade

Folha de Pernambuco

Em meio a incertezas devido a suspensão por tempo indeterminado das competições, os atletas que pertencem a clubes da Série C soltaram um comunicado, assinado por 16 capitães, onde solicitam a ajuda financeira da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF) para minimizar o impacto da paralisação. Dono da braçadeira coral, o zagueiro Danny Morais representou o elenco do Santa Cruz e postou o documento nas redes sociais.

Na nota, os jogadores salientam o auxílio da entidade para pagar a hospedagem e viagem das equipes nas partidas da terceira divisão. Porém, a pandemia do Covid-19 deve mudar a realidade de grande parcela de quem atua no torneio, visto que não há pagamento de direitos televisivos para os clubes e muitos enfrentam dificuldades financeiras. 

Leia também:

Santa e demais clubes da Série C farão reunião para definir férias e salários

Clubes da Série B darão férias coletivas de 20 dias, diz comunicado 

Dirigentes irão se reunir por teleconferência nesta sexta-feira para decidir a antecipação das férias e negociação de redução salararial. O encontro terá a participação do Santa Cruz, na figura do presidente do clube, Constantino Júnior. De acordo com o mandatário coral, o encontro tentará definir também a questão salarial dos profissonais, mas não necessariamente seguindo o que foi acordado na reunião dos representantes de A e B com a Comissão Nacional dos Clubes.

Confira o comunicado completo

Os atletas dos clubes da Série C do Campeonato Brasileiro, aqui representados pelos seus capitães, abaixo assinados, vêm, perante a Confederação Brasileira de Futebol - CBF, pedir atenção e auxílio para seus clubes e a si próprios neste momento de crise. Como é sabido, os clubes e atletas que disputam a Série C do Brasileirão, o fazem com muito custo e muito sacrifício, sem maiores apoios, diferentemente do que acontece com os clubes e atletas que disputam as Séries A e B do Campeonato Brasileiro.

É claro que o apoio financeiro quanto à logística das partidas (viagens e hospedagens) fornecidos por esta Confederação, é fundamental para a realização do torneio. Os atletas, representados por seus capitães, reconhecem e agradecem todo o suporte disponibilizado. Contudo, o futebol brasileiro teve seus campeonatos suspensos por tempo indeterminado em decorrência da pandemia da Covid-19 que atinge todo o planeta e ameaça vida humanas. Mas não é só o vírus que ameaça as vidas das pessoas.

Os impactos financeiros desta paralisação serão terríveis para o mundo do futebol, contudo para os clubes e atletas que disputam a Série C serão ainda mais graves, pois são muito mais suscetíveis aos danos causados pelas perdas geradas pela suspensão e pelo ônus de arcar com seus compromissos durante a paralisação. Assim, estamos na iminência de uma crise sem precedentes que pode gerar abalos severos às vidas de inúmeras famílias de todos que fazem o espetáculo da Série C ser tão importante para o futebol brasileiro.

Desta forma, nos apresentamos diante da Confederação Brasileira de Futebol com a intenção de solicitar doação de recursos para os clubes da Série C, com destinação exclusiva de manter em dia o pagamentos dos salários e imagens de seus atletas, a fim de auxiliar, ou ao menos minimizar, os impactos financeiros advindos desta enorme crise mundial, considerando que são os atletas os principais protagonistas, sem os quais não haveria o espetáculo do futebol, e neste momento, potencialmente mais atingidos, visto a nossa notória hipossuficiência.

Confiando no bom senso e responsabilidade sempre demonstrados por esta Confederação, fazemos, em nossos nomes, de nossas famílias e de nossos clubes e de suas respectivas torcidas, este apelo para minimizarmos os impactos financeiros decorrentes da epidemia da Covid-19.