Folha de Pernambuco Estados Unidos participarão de investigação de queda de avião no Irã

Estados Unidos participarão de investigação de queda de avião no Irã

No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos

No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos

No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos

No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos

Folha de Pernambuco

A National Transportation Safety Board (NTSB), agência encarregada da segurança dos transportes nos Estados Unidos, participará da investigação sobre as causas da queda, na quarta-feira, de um Boeing ucraniano na região de Teerã.

"A NTSB designou um representante acreditado para a investigação do acidente", disse a agência que investiga os acidentes do transporte. A agência "continua monitorando a situação em torno do acidente e avalia seu nível de participação na investigação", que será liderada pelo Irã, acrescenta o comunicado publicado no Twitter.

Leia também:
Presidente iraniano diz que política americana é causa de insegurança
Câmara dos EUA aprova resolução que freia ações militares de Trump contra o Irã
Avião ucraniano foi derrubado pelo Irã por acidente, dizem Canadá, Reino Unido e agentes dos EUA


"Não faremos qualquer especulação sobre as causas" do desastre aéreo, conclui a NTSB. No acidente morreram as 176 pessoas a bordo, principalmente canadenses de origem iraniana, mas também afegãos, britânicos, suecos e ucranianos. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta quinta-feira (9) que dispõe de informações de que o avião ucraniano foi "derrubado" por um míssil iraniano.

O premier canadense, Justin Trudeau, também revelou ter elementos, de múltiplas fontes, que indicam que o avião foi derrubado por um míssil terra-ar iraniano". O Irã solicitou ao Canadá que compartilhe sua informação sobre a queda do avião ucraniano.

Em um comunicado sobre "certas colocações de cenários duvidosos", o ministério iraniano das Relações Exteriores pediu ao Canadá que "compartilhe" as informações com a comissão de investigação criada no Irã e convidou a Boeing, fabricante da aeronave, a "participar" do processo.

"A República Islâmica do Irã começou sua investigação para identificar a causa da queda deste avião, com base nos padrões internacionais e nas regulamentações" da aviação civil internacional. O Irã "convida a Ucrânia, como proprietária do avião, e a Boeing, como fabricante do avião, a participar da investigação", acrescenta o comunicado do ministério.

Teerã disse estar disposto a integrar na investigação especialistas de todos os países que perderam cidadãos na tragédia. Ao apresentar as condolências do Irã às famílias das vítimas, a chancelaria pediu "a todos os governos que têm informações" sobre a tragédia que as compartilhem com o "comitê de investigação iraniano".