Maduro reconhece rival de Guaidó como presidente do Parlamento venezuelano

Deputado opositor Luis Parra se autoproclamou chefe do Parlamento com apoio chavista em uma sessão sem a presença de Juan Guaidó e outros opositores

Deputado opositor Luis Parra se autoproclamou chefe do Parlamento com apoio chavista em uma sessão sem a presença de Juan Guaidó e outros opositores

Deputado opositor Luis Parra se autoproclamou chefe do Parlamento com apoio chavista em uma sessão sem a presença de Juan Guaidó e outros opositores

Folha de Pernambuco

O presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, reconheceu, neste domingo (5), como novo chefe do Parlamento o deputado opositor Luis Parra, autoproclamado com apoio chavista em uma sessão sem a presença de Juan Guaidó e outros opositores, bloqueados do lado de fora da sede legislativa por policiais e militares.

"A Assembleia Nacional tomou uma decisão e há uma nova junta diretora. Vinha sonhando que o deputado Juan Guaidó seria retirado da Assembleia Nacional com os votos da própria oposição", disse Maduro em ato exibido pela TV estatal VTV após o juramento de Parra, que Guaidó chamou de "golpe de Estado parlamentar".

Leia também:
EUA diz que Maduro paga suborno para impedir reeleição de Guaidó
Guaidó diz que há infiltrados de Cuba e da Venezuela nos protestos na América do Sul

Parra, que, após ser acusado de corrupção, rompeu com Guaidó, prestou juramento com um megafone, enquanto o chefe parlamentar tentava entrar na sede da Assembleia Nacional, unicameral. Um vídeo divulgado pela imprensa mostra o líder opositor tentando por quatro horas ultrapassar o bloqueio militar. Tiveram acesso ao prédio apenas deputados do chavismo e os de oposição que são críticos de Guaidó.

O Parlamento havia convocado a sessão para as 11h locais e Guaidó garantia contar com votos "mais do que suficientes" para ser ratificado no cargo a partir do qual, em janeiro passado, reivindicou a presidência encarregada da Venezuela com o reconhecimento de meia centena de países, liderados pelos Estados Unidos.

A conta da Assembleia Nacional no Twitter denunciou que a proclamação de Parra foi feita "sem votos ou quórum", enquanto a assessoria de imprensa de Guaidó classificou a ação como um "golpe de Estado parlamentar".

Guaidó também
Juan Guaidó foi ratificado neste domingo como presidente do Parlamento da Venezuela por deputados da oposição, na sede de um jornal, depois que foi impedido de entrar na sessão em que o congressista rival Luis Parra se autoproclamou chefe do Legislativo com apoio chavista.

"Juro ante Deus e o povo da Venezuela fazer cumprir a Constituição como presidente do Parlamento e presidente encarregado da Venezuela", disse Guaidó após receber o voto de 100 deputados, em uma sessão da qual participaram legisladores inabilitados por acusações penais.