Política Bolsonaro terá que explicar ao TSE declarações sobre fraudes

Bolsonaro terá que explicar ao TSE declarações sobre fraudes

Corregedor do TSE, ministro Luís Felipe Salomão, dá 15 dias para que sejam apresentadas evidências sobre as denúncias feitas

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Felipe Salomão

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Felipe Salomão

STJ/Divulgação

O corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Felipe Salomão, deu nesta segunda-feira (21) prazo de 15 dias para que o presidente Jair Bolsonaro e outras autoridades  que deram declarações sobre fraudes nas urnas eletrônicas apresentem evidências e informações que corroborem as falas.

Portaria assinada pelo corregedor instaurou, ainda, procedimento administrativo para apurar a existência ou não de elementos concretos que possam ter comprometido os pleitos de 2018 e 2020.

Em seu despacho, Salomão afirma que "a busca de informações detalhadas e documentadas sobre os fatos narrados (por autoridades na imprensa) tem por objetivo principal subsidiar estratégias de aprimoramento dos recursos de segurança que envolvem as atividades voltadas à realização das eleições, em especial ao pleito que se avizinha". Ou seja, a intenção do ministro é impedir eventuais problemas no pleito do ano que vem.

O corregedor dá 15 dias para que as autoridades que fizeram as denúncias apresentem "evidências ou informações de que disponham" relativas à ocorrência de eventuais fraudes ou inconformidades em eleições anteriores. Por fim, Salomão dá ciência ao Ministério Público Eleitoral.

Últimas