Governo avalia não enviar texto e só sugestão da reforma administrativa 

A ideia é aproveitar propostas em tramitação sobre o tema e enviar uma "sugestão" aos parlamentares após a criação da comissão especial

O ministro da Economia, Paulo Guedes, que já defendeu propostas em tramitação

O ministro da Economia, Paulo Guedes, que já defendeu propostas em tramitação

DANIEL RESENDE/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governo deve desistir de enviar uma proposta de reforma administrativa ao Congresso. Segundo uma fonte que acompanha as tratativas, a ideia é aproveitar matérias em tramitação sobre o tema e enviar apenas uma "sugestão" aos parlamentares após a criação da comissão especial.

Leia também: 2020 será melhor, acena Bolsonaro a outros Poderes na posse de Marinho

A estratégia é semelhante ao que foi planejado para a reforma tributária. No final do ano passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que seria uma "tolice" encaminhar uma nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com mudanças no sistema tributário considerando que já havia outras duas tramitando no Legislativo.

Leia também: Maia e Alcolumbre anunciam acordo para derrubar veto de Bolsonaro

Na semana passada, no entanto, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que o governo estava na "iminência" de enviar o texto da reforma administrativa ao Parlamento. Um dia depois, no entanto, Paulo Guedes causou polêmia ao comparar os funcionários públicos a "parasitas". Depois, acabou pedindo desculpas.