O que vai pelo Supremo

Defensores de bandidos querem a ajuda dos revisores da Constituição

  • Augusto Nunes | Do R7

Ministro Gilmar Mendes preside sessão por videoconferência da 2ª turma. Foto: Nelson Jr./SCO/STF (24/11/2020)

Ministro Gilmar Mendes preside sessão por videoconferência da 2ª turma. Foto: Nelson Jr./SCO/STF (24/11/2020)

Nelson Jr./SCO/STF - 24.11.2020

1. Há poucos dias, cinco ministros do Supremo Tribunal Federal tentaram instituir a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado, proibida pela Constituição brasileira. Nesta semana, o mesmo quinteto se uniu aos demais titulares do Timão da Toga para aprovar a vacinação obrigatória, que não é prevista na Constituição.

Uma Constituição que tem como guardiões gente assim não precisa de adversários. Vai acabar substituída pelo “Manual de medidas inconstitucionais mas necessárias”, próxima obra literária do ministro Gilmar Mendes.

2. Um grupo de advogados quer implodir a liminar do ministro Luiz Fux que suspendeu por tempo indeterminado a criação da figura do juiz de garantias. Todos os doutores têm como clientes bandidos de nascença. A OAB acha muito importante a ação apresentada pelo grupo de associados. Isso basta para provar que o juiz de garantias atrapalha a Justiça e ajuda delinquentes. Também enriquece advogados de criminosos irrecuperáveis.

Últimas