Autos Carros [Avaliação] Captur Bose 1.6 CVT fica só no estilo arrojado

[Avaliação] Captur Bose 1.6 CVT fica só no estilo arrojado

SUV compacto tem motor 1.6 e desempenho razoável mas custa caro pelo que entrega: veja nosso teste de quase 1.000km a bordo do Renault

Captur Bose 2020: R$ 95,9 mil com motor 1.6 SCe de 120cv e 16,2kgfm de torque e câmbio CVT

Captur Bose 2020: R$ 95,9 mil com motor 1.6 SCe de 120cv e 16,2kgfm de torque e câmbio CVT

Marcos Camargo Jr

Vendido no Brasil há pouco mais de três anos o Captur não é um sucesso de vendas e nem uma unanimidade além do belo design. Seguindo as linhas do modelo europeu que acaba de mudar, o Renault tem proposta de beleza e baixo custo de manutenção típico dos modelos da marca que o R7-Autos Carros testou durante uma semana provando suas qualidades e pontos negativos.

4,32m de comprimento e 2,63m de entre-eixos: bom parta malas mas apertado no banco de trás

4,32m de comprimento e 2,63m de entre-eixos: bom parta malas mas apertado no banco de trás

Marcos Camargo Jr

Sem dúvida o melhor do Captur ainda fica com o design e a generosidade das proporções. São 4,32m de comprimento e 2,63m de entre-eixos mas isso não se traduz necessariamente em conforto para todos. O porta-malas tem 437 litros e os bancos dianteiros são largos e amplos mas o traseiro é prejudicado pelo túnel central largo, o porta objetos que rouba parte do espaço e o curto espaço. Se o motorista for maior que 1,75, vai precisar colocar o banco um pouco mais para trás atrapalhando a vida dos passageiros. 

Painel segue linhas arredondadas e na linha 2020 só recebeu a multimídia Nav Evolution

Painel segue linhas arredondadas e na linha 2020 só recebeu a multimídia Nav Evolution

Marcos Camargo Jr

O motor SCe 1.6 tem 118cv com gasolina e 120 com etanol, e com torque baixo (16,2kgfm) tem saída esperta mas uma relação morosa com o câmbio X-tronic CVT originário da Nissan. A ideia é trazer conforto a bordo e nisso o Captur é mesmo competente mas basta precisar pisar fundo para perceber a limitação do crossover. Ele poderia, aliás, receber o mesmo ajuste da Duster 2021 que ajuda a atenuar as limitações do propulsor aspirado da linha enquanto o turbo não chega.

Digite a legenda da foto aqui

Digite a legenda da foto aqui

Marcos Camargo Jr

Em termos de acabamento o Captur também é simples com plástico rústico e forrações mescladas somente nas portas dianteiras com apio de braço revestido em couro. Ainda assim é inegável que com três anos de vida no Brasil ele continue muito atual. O painel é completo mas oculta a temperatura do motor o que é uma tendência mas as luzes-espia dão conta do recado e uma barra horizontal indica se o motorista está dirigindo de forma econômica com as cores verde e laranja conforme a disposição do pé no acelerador.

Suspensão é confortável para rodar na cidade e estrada a bordo do Renault Captur

Suspensão é confortável para rodar na cidade e estrada a bordo do Renault Captur

Renault Divulgação

Com esse conjunto a dirigibilidade com suspensão confortável e boa altura em relação ao solo. Em termos de consumo rodamos dois tanques de combustível com o Captur. Com etanol ele rendeu 6,8km/litro apenas na cidade sempre com ar condicionado ligado e duas pessoas a bordo. Com gasolina ele chegou a 13km/litro na estrada e 10km na cidade, dentro da média informada pela Renault. Confrontamos o computador de bordo do carro com o abastecimento na bomba e a diferença foi mínima. Enquanto o equipamento mostrou o consumo de 6,8 com etanol o cálculo preciso chegou a 6,76km por litro. 

Renault Divulgação

Na versão Bose chama a atenção o conjunto de sete alto falantes da marca premium com excelente qualidade sonora e o Subwoofer instalado no porta-malas. Só ficou faltando um equalizador de som para ajustar o conjunto de falantes mas isso esbarra nas limitações do Nav Evolution que agora traz espelhamento por cabo para Android Auto e Apple CarPlay. O equipamento fica devendo comandos mais rápidos e uma tela de melhor resolução e menor brilho.

Marcos Camargo Jr

Com virtudes e limitações o Renault Captur se mostra ainda mais bonito nas combinações em dois tons do modelo Bose. O carro das fotos é pintado na cor Cinza Cassionpée com teto na cor Prata Etóile. A manutenção do carro até os 60.000km custará R$ 3.500, adequado ao segmento e bem mais barato de manter do que o líder Jeep Renegade (R$ 4.500 nas revisões) e no Caoa Chery Tiggo 2 (R$ 4.700 nas seis primeiras paradas) mas muito acima ainda do campeão do segmento que é o Nissan Kicks cujas revisões até os 60.000 quilômetros custam R$ 2.800. Porém por R$ 95,9 mil o Captur é caro diante de competidores e com esse orçamento já é possível comprar um Chevrolet Tracker LTZ 1.0 turbo, T-Cross Comfortline 200TSI e chega perto do novo Volkswagen Nivus. Quem sabe com motor turbo que chega no próximo ano sua relação custo-benefício fique tão boa quanto no Duster que tem preço mais convidativo e equipamentos esperados como direção elétrica e uma calibração melhor do motor e o câmbio.

Renault Divulgação

Futuro

Para o próximo ano o Renault Captur deve mudar. Ao que tudo indica não teremos a plataforma do Clio 4 como a versão europeia mas sim a manutenção da B0 usada na Rússia e fabricada aqui com o Logan, Sandero, Duster e Oroch. Ainda assim a mudança mais esperada é a chegada do motor 1.3 turbo além de novos equipamentos o que dará ao Captur chances maiores de se destacar neste concorrido mercado.

"Kaptur" russo tem plataforma B0 e opção de motor turbo que será oferecida aqui em 2021

"Kaptur" russo tem plataforma B0 e opção de motor turbo que será oferecida aqui em 2021

Renault Divulgação

Quer saber se o Renault Captur é uma boa alternativa e os custos de manutenção? Veja no vídeo do Autos TV:

Últimas