Autos Carros [Avaliação] Virtus 1.6MSi automático é o sedan "custo-benefício" da VW

[Avaliação] Virtus 1.6MSi automático é o sedan "custo-benefício" da VW

Simplificado no visual e usando motor antigo sua principal arma é o conforto do câmbio automático para quem dispensa itens cosméticos

Marcos Camargo Jr

O Volkswagen Virtus tem seguido um bom caminho no segmento dos sedãs: vendeu 46.883 unidades em 2019, saindo de um patamar de 3.000 para 4.000 unidades mensais. Ainda está longe do Chevrolet Onix Plus que na nova geração emplaca, em média, 9.000 unidades por mês. A VW oferece o sedã com configurações interessantes e desta vez vamos avaliar a 1.6 MSi com câmbio automático, a versão "custo-benefício" do Virtus.

Pacote honesto 

Analisando por dentro e por fora, é possível concluir que o carro dispensa itens cosméticos. Não tem bancos em couro, o acabamento é simplificado e não há muitos frisos e detalhes.

Marcos Camargo Jr

O motor é o velho conhecido 1.6 EA211 MSi (117 cv de potência a 5.750 rpm e 16,5 kgfm de torque a 4.000 rpm com etanol) com transmissão automática Aisin de seis marchas, mesmo conjunto usado no Voyage por exemplo. Ainda assim o essencial está lá: ar condicionado, direção elétrica e multimídia com Bluetooth, entrada auxiliar, USB e cartão de memória além de Android Auto e Apple CarPlay. O pacote aliás é o mesmo da versão PCD vendida por R$ 55 mil e denominada Sense.

Marcos Camargo Jr

Assim, com a honestidade da versão 1.6MSi levamos o Virtus a um teste feito em percursos urbanos e rodoviários. Enquadrado como compacto, o sedã da Volkswagen se destaca pelo bom espaço interno, porta-malas de 521 litros e a multimídia Composition Touch que tem computador de bordo bem completo.

Marcos Camargo Jr

O motor de 117cv aspirado é confortável mas passa longe do brilho do 1.0 TSi. Com ele o Virtus fica mais lento mas evolui bem se o motorista não estiver esperando o desempenho do motor turbo. O câmbio é suave nas trocas e mesmo sem aletas para trocas atrás do volante cumpre seu papel. A suspensão inclina muito pouco e a dirigibilidade é também ponto de destaque como em toda a linha Polo. 

Marcos Camargo Jr

A bordo dele faltam itens como o apoio de braço para o motorista e câmera de ré, útil para seus 4,48m de comprimento, 1,75m largura, 1,47m de altura e 2,65m entre-eixos. Apesar disso, os menos exigentes vão valorizar o espaço para levar três passageiros no banco de trás com folga.

Consumo e preço

Com gasolina o Virtus marcou 10,5km/litro em percurso urbano e 13km/litro em rodovias, algo dentro do esperado para os números divulgados pela Volkswagen. No entanto, para ter itens do pacote "Safety" como assistente de partida em rampa é preciso acrescentar R$ 1.430. Cor metálica também encarece em R$ 1.570 e assim facilmente será preciso desembolsar R$ 73 mil por um modelo mais equipado. 

Sistema Composition Touch é completo e tem espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto

Sistema Composition Touch é completo e tem espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto

Marcos Camargo Jr

O preço de R$ 69,9 mil é interessante ao considerar os competidores sedãs automáticos como Fiat Cronos Drive 1.8 AT 2020 também por R$ 69.990, Ford Ka Sedan 1.5 Titanium por R$ 73.290, Toyota Yaris 1.5 XS Connect CVT por R$ 77.990 mas ainda fica acima do líder Chevrolet Onix Plus cuja versão LT começa em R$ 68 mil e vai até R$ 78 mil na Premier, sempre com motor 1.0 turbo e transmissão automática. Se a intenção é ter um sedã espaçoso com boa dirigibilidade sem fazer questão do bom desempenho do motor turbo mas com câmbio automático para descansar o pé esquerdo.

Últimas