Autos Carros Bugatti Bolide terá motor de 1.578 cv e será o mais rápido da história: conheça

Bugatti Bolide terá motor de 1.578 cv e será o mais rápido da história: conheça

Ao todo, montadora promete produzir só 40 unidades do superesportivo

Resumindo a Notícia

  • Esportivo poderá atingir a velocidade máxima de 460 km/h
  • Montadora não divulgou o torque do modelo e nem o zero a 100 km/h
  • Novo Bugatti Bolite lembra um Batmóvel
Novo Bugatti Bolite lembra um Batmóvel

Novo Bugatti Bolite lembra um Batmóvel

Bugatti/Divulgação

A Bugatti divulgou imagens e dados mecânicos do novo Bolide, que promete ser o carro mais rápido já fabricado pela montadora. O superesportivo, que deve ter apenas 40 unidades produzidas, será equipado com motor de 1.578cv. Veja os detalhes.

Modelo pode atingir a velocidade máxima de 460 km/h

Modelo pode atingir a velocidade máxima de 460 km/h

Bugatti/Divulgação

O novo Bugatti Bolite mais lembra um Batmóvel, uma vez que tem visual parecido com os carros recentes da saga do homem morcego. Entre os detalhes de design o carro traz uma pequena grade frontal, amplas entradas de ar, spoiler traseiro e faróis com assinatura luminosa no formato de "X". Contudo, a marca não divulgou imagens do interior do bólido.

Modelo tem assinatura luminosa no formato de "X"

Modelo tem assinatura luminosa no formato de "X"

Bugatti/Divulgação

Em relação à motorização, o Bugatti Bolide tem um motor W16 8.0 litros turbocharger, que entrega absurdos 1.578 cv. A montadora não divulgou o torque do modelo e nem o zero a 100 km/h, mas poderá atingir a velocidade máxima de 460 km/h. Com esse número ultrapassa o "irmão" Veyron Super Sport, que atinge 431 km/h.

PORSCHE TAYCAN GTS 2023: elétrico de quase 600cv por mais de R$ 800 mil: teste na cidade/estrada. Veja o vídeo!

Apesar de ter divulgado mais imagens e alguns dados mecânicos, a Bugatti ainda não divulgou quando começarão as vendas do novo Bolide. Também não disse onde o esportivo será vendido.

*Com a colaboração Felipe Salomão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas