Blog do Nolasco Para Guedes, crescimento do PIB afasta risco de recessão 

Para Guedes, crescimento do PIB afasta risco de recessão 

Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que projeções de recessão feitas por economistas estavam erradas mais uma vez

Ministro da Economia, Paulo Guedes, em imagem de arquivo

Ministro da Economia, Paulo Guedes, em imagem de arquivo

Flipar

O PIB (Produto Interno Bruto), a soma de todas as riquezas produzidas no país, cresceu 1% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com os últimos três meses do ano passado. Os números divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na avaliação do ministro da Economia, Paulo Guedes, demonstram que o "crescimento do PIB descredencia todas as estimativas de recessão". Paulo Guedes se refere às projeções do mercado financeiro que previam recessão ou baixíssimo crescimento para o país em 2022.

Em conversa exclusiva com o Blog na manhã desta quinta-feira (2), o ministro lembrou também o que já vinha dizendo: "Erraram (economistas do mercado financeiro) outra vez".

Paulo Guedes continua otimista com a recuperação da economia do país e fez questão de ressaltar outros dados recentes, como a queda no desemprego de 11,2% para 10,5%, a menor taxa desde 2015. Em abril do ano passado, o desemprego estava em 14,8%. Mesmo assim, cerca de 10,5 milhões de pessoas seguem sem ocupação. E a redução da inflação, que ficou em 0,42% em maio, abaixo do piso estimado por sete instituições do mercado financeiro, que previam IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 0,48% a 0,60%.

Para o ministro, nos "próximos meses podemos ter inflação e desemprego de um dígito". E a contribuição pode vir das reduções de impostos. "Com a redução do ICMS (teto de 17% estabelecido pelo Congresso) e do IPI (redução de 35% feita pelo governo) a inflação também pode desabar", na avaliação de Paulo Guedes.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas