Blog do Nolasco Reforma ministerial: ​Bolsonaro deve manter nomes técnicos

Reforma ministerial: ​Bolsonaro deve manter nomes técnicos

Pelo menos 10 Ministros devem deixar os cargos em abril para disputar as eleições de outubro

  • Blog do Nolasco | Do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

Isac Nóbrega / PR

Durante reunião nesta quinta-feira no Palácio da Alvorada, com os principais auxiliares, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende manter nomes técnicos nos ministérios que ficarão sem os titulares a partir de abril. O presidente pediu as indicações de nomes que já estão nas pastas. Uma fonte disse ao blog que a tendência é que secretários, já habituados ao andamento dos trabalhos, deem continuidade aos projetos.

Dez ministros devem deixar os cargos até abril, prazo estabelecido pela lei para que os eventuais candidatos se desincompatibilizem de cargos públicos e possam disputar as eleições.

A estratégia do presidente é eleger o maior número possível de senadores e formar uma base de apoio no Senado, onde sofre maior resistência, para um eventual segundo mandato.

A renovação do Senado em 2022 será de um terço, com a eleição de um representante por unidade da federação.

Tarcísio de Freitas, atual Ministro de Infraestrutura será candidato ao Governo de São Paulo. João Roma, Ministro da Cidadania, quer disputar o Governo do Estado da Bahia, mas ainda falta um acerto entre partidos da base do presidente Bolsonaro.

A ministra Tereza Cristina, da Agricultura, pode tentar uma vaga ao Senado pelo Mato Grosso do Sul. Marcos Pontes, Ministro de Ciência e Tecnologia, pretende disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Rogério Marinho, Ministro do Desenvolvimento Regional, vai concorrer ao Senado pelo Rio Grande do Norte.

Flávia Arruda, ministra da Secretaria de Governo, busca uma vaga ao Senado pelo Distrito Federal.  Gilson Machado, Ministro do Turismo, ainda definirá qual cargo que vai disputar, mas se colocou à disposição do presidente.

O ministro do Trabalho Onyx Lorenzoni quer concorrer ao Governo do Rio Grande do Sul e disputa esse posto da base aliada ao governo com o senador Carlos Heinze. O ministro Ciro Nogueira, da Casa Civil, vai concorrer à reeleição ao Senado pelo Piauí. O Ministro Anderson Torres, da Justiça, também pretende disputar uma vaga ao Senado pelo Distrito Federal.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas