Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Conta em Dia
Publicidade

Preço de remédio varia até 685% nas farmácias, mostra pesquisa do Procon

Medicamento Nimesulida (apresentação 100 mg 12 comprimidos), por exemplo, foi encontrado por R$ 23,49 em um lugar e por R$ 2,99, em outro

Conta em Dia|Ana VinhasOpens in new window


Medicamentos variam até 600% CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO - 27.01.2011

Os preços dos remédios variam até 685% entre os genéricos e 134% entre os de referência. O dado faz parte do levantamento anual do Procon-SP divulgado nesta segunda-feira (1º). Também foram comparados os preços médios dos genéricos aos de referência. A diferença média entre produtos das duas categorias foi de 66,8% a favor dos genéricos.

A pesquisa foi por site na capital paulista e presencial em Araçatuba, Baixada Santista (Santos e São Vicente), Bauru, Campinas, Jaú, Jundiaí, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba. Os dados foram coletados entre os dias 27, 28 e 29 de maio.

Segundo o Procon-SP, o objetivo é oferecer ao público referências de preços, além de reforçar a necessidade da pesquisa antes de se fazer a compra do medicamento.

Interior e litoral

Publicidade

Entre as cidades em que o levantamento foi feito presencialmente, a maior diferença de preços apurada foi nos medicamentos genéricos em Presidente Prudente – em um estabelecimento o valor de venda do medicamento Nimesulida (apresentação 100 mg 12 comprimidos) era de R$ 23,49 e em outro, R$ 2,99 – uma diferença de 685,62%.

Já entre os de referência, a maior diferença foi na Baixada Santista: em uma farmácia o medicamento Amoxil (Amoxicilina) da Glaxosmithkline (apresentação: 500 mg 21 cápsulas) foi encontrado por R$ 67,08 e em outra por R$ 29,95 (diferença de 123,97%).

Publicidade

Capital

Entre os preços oferecidos por sites de seis grandes redes de drogarias, a maior diferença, de 229,54%, foi entre os medicamentos genéricos. O medicamento Dipirona Sódica (apresentação: 500 mg/ml gotas 10 ml) foi encontrado em um site por R$ 7,81 e em outro por R$ 2,37.

Veja a pesquisa completa de cada cidade: Capital Araçatuba, Baixada Santista (Santos e São Vicente), Bauru, Campinas, Jaú, Jundiaí, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba

Já entre os medicamentos de referência, a maior diferença foi de 134,77%, no preço do medicamento Dexason da Teuto (apresentação: 1 mg/g creme dermatológico 10 g), em um site era vendido por R$ 9,79 e, em outro por R$ 4,17.

Na comparação entre os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação, o levantamento feito nos sites constata que, em média, os medicamentos genéricos estão 66,83% mais baratos do que os de referência.

Na comparação de 24 itens comuns às pesquisas deste ano e da realizada em 2023, foi constatada uma variação positiva de 4,33% no preço médio dos medicamentos de referência. Já na comparação em relação aos medicamentos genéricos, houve uma variação negativa de 5,47%. Como referência, o IPCA (IBGE) do período analisado apresentou variação de 3,69%.

Confira as orientações do Procon

  • Farmácias e drogarias não podem cobrar pelos medicamentos preço acima do permitido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) – órgão responsável pela regulação econômica do mercado de medicamentos no Brasil.
  • A lista de preços máximos (PMC) é disponibilizada no site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para consulta dos consumidores e é atualizada mensalmente.
  • Respeitado o PMC, as variações de preço encontradas no mercado podem ocorrer em razão dos descontos concedidos pelos estabelecimentos, de acordo com critérios livremente estabelecidos pelo fornecedor.
  • Medicamentos controlados, ou seja, os que possuem tarja preta na sua embalagem, antibióticos e alguns outros definidos pela Anvisa, não podem ser vendidos sem apresentação e retenção da receita médica original. Assim, os sites podem oferecer o remédio, informar o seu preço, mas não podem fornecê-los sem a prévia apresentação e devida retenção da receita.
  • Alguns medicamentos podem ser adquiridos por meio de programas sociais que são oferecidos pelo governo federal, estadual ou municipal, de forma gratuita ou com grandes descontos.
  • Antes de comprar, verifique se o medicamento que necessita se enquadra em algum desses programas.
  • Todo medicamento deve ter o número de registro no Ministério da Saúde.


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.