O complexo da indiferença

Reprodução

“Provavelmente a indiferença seja a maior e a mais cruel das maldades humanas, pois ela significa que eu nem sequer estou lhe vendo. ” Leandro Karnal.

De acordo com o dicionário a indiferença é a falta de interesse, de atenção, de cuidado, de consideração, descaso; desdém. Quando ao decorrer dos dias você se encontra indiferente ao seu redor, cuidado, a indiferença afasta e principalmente gera perdas significativas na trajetória da vida.

Esse complexo está invadindo cada vez mais as pessoas, o não se importar com o outro, o não se comover com a injustiça, o abandonar, são coisas graves que estão se alastrando e se normalizando. Quando algo ruim é normalizado, o erro é globalizado e repetido até que seja impossível de mudar, afinal todo mundo faz, né? É normal! Mas as atitudes que a indiferença desenvolve, transforma as pessoas em seres desumanizados. Carregando bagagens de desrespeito e prepotência. Se não há interesse, nada é absorvido, nada é aprendido, tudo é perdido, seja bom ou ruim, pois se não pararam nem para ouvir, como distinguiram se o que foi repassado é importante?

O complexo impede de sentir, de desenvolver a inteligência emocional, de experimentar coisas novas e principalmente de viver.

Devemos pensar em nosso bem-estar, mas chegar ao ponto de ser insensível com a dor do outro é alimentar o pior lado da ignorância.

De certo que não devemos absorver tudo o tempo inteiro, mas a partir do momento que nada mais importa, o complexo começa a dominar e infelizmente, ele traz insensibilidade até para conosco, ignorando os nossos sentimentos e vontades, tirando todo o prazer em viver. Então, passamos a agir como robôs, olhamos, mas não vemos, falamos, mas são palavras ao vento, ouvimos, mas não prestamos atenção e tudo isso vai se alastrando, em um determinado ponto você já não consegue mais se ouvir. É extremamente grave esse local de surdez emocional.

A surdez emocional te isola tanto que até os próprios pensamentos são abafados, vivendo em uma solidão mental. A vida perde a graça, tudo ao seu redor já não faz mais sentido. Aprenda a perceber os sinais da indiferença nos exemplos a seguir:

Mariazinha sempre teve uma vida corrida, entretanto com o cansaço do dia-a-dia ela começou a se desligar do que estava acontecendo ao seu redor para poupar de se estressar, entretanto ao fazer isso ela começou a ficar indiferente com as suas amigas, não compreendendo mais a necessidade de dar atenção às suas amigas, afastando-as de sua convivência.

O cansaço mental de Mariazinha foi tanto que a influenciou a adentrar na indiferença, achando que a pouparia de mais cansaço. Infelizmente será mais difícil de voltar a realidade do que se imagina, e quando ela voltar desse desligamento, verá as consequências de não estar consciente para viver a vida.

Joãozinho, se viu tão julgado pelos outros funcionários da empresa em que trabalha, que decidiu ser insensível com os comentários para não ser afetado, entretanto a insensibilidade o dominou e sem forças não conseguiu limitar as atitudes apenas no serviço, afetando o

seu convívio social e perdendo a vontade de fazer os seus hobbies. Vivendo apenas para trabalhar, voltar para casa, comer e dormir.

O Joãozinho só queria não ser atingido por comentários desagradáveis, com a crença que na indiferença ele encontraria conforto, mas encontrou solidão.

A surdez emocional te dá a falsa percepção que se livrará de um problema, mas muito pelo contrário, ele te força a esquecer das plenitudes da vida, fazendo se enxergar em terceira pessoa. Como se você visse tudo de cima, sem poder para fazer nada.

A indiferença causa isso, o vagar dentro de si mesmo, como se tudo estivesse em silêncio dando a falsa imagem de estar vivendo em paz, mas ela te sufoca, quando você precisar falar, quando você quiser sentir, quiser reagir, ela te sufocará para não perder o controle, é uma luta constante dentro da mente e você se encontra como prisioneiro em si mesmo. É uma realidade ilusória, prometendo a perfeita paz, entretanto custa muito para apenas alguns minutos de silêncio, custa a sua saúde, o seu tempo, a sua convivência, o amor e as suas oportunidades.

"A pior forma de violência não é a violência, e sim a indiferença. A indiferença destrói um ser de dentro para fora." Matheus Peleteiro.

Portanto, devemos combater, enfrentar a globalização da indiferença por que não há avanço sem entendimento, as circunstâncias não podem te influenciar a seguir esse caminho. Ser livre para sentir, conversar, parar para respirar é o que precisa para ser livre. Uma mente pensante nunca será calada, mas uma mente fragilizada pode ser silenciada, por si mesmo ou pelos outros.

A paz é subjetiva, procuramos por ela o tempo todo, sem perceber que ela está em todos os lugares. Seja nas gargalhadas que você ouve do seu filho, seja nas lembranças que têm com a sua família e amigos, seja na sua realização profissional, seja no amor, em todos os lugares a paz se encontra, até mesmo quando se dá um tempo para descansar.

Não esqueça, descansar é fortalecer a sua mente para não se isolar. Se proporcione momentos de paz, viver uma loucura o tempo inteiro te deixará cada vez mais fragilizado e suscetível a cair na indiferença. Você precisa de você consciente, deixar a vida te levar não é viver, deixar a sua mente no escuro não te proporcionará mudanças, desafios, conquistas ou oportunidades, entretanto te aprisionará para não vivenciar nada dessas coisas.

Em um navio afundando você não fica parado esperando afundar de vez, você fará de tudo para sobreviver, com a nossa mente é a mesma coisa, por que deixar a sua mente se afogar? Lute por si mesmo, por tudo o que já aprendeu, já vivenciou, já experimentou, não deixe cair no esquecimento que você foi, que você é e quem você quer se tornar. Mantenha o foco na sua importância para que quando o barco estiver afundando você conseguir pegar na bóia e sobreviver. Há pessoas más e há pessoas boas no mundo, não se frustre, não seja indiferente a ponto de uma pessoa boa também ser perdida. Procure ajuda profissional e não desista de si mesmo.

O complexo da indiferença não deve ser normalizado, precisamos combater dia após dia, antes que a ignorância, o desrespeito e a injustiça dominem e os bons se percam.

Trabalhe a sua inteligência emocional, mesmo que venha doer, desta forma você não cairá nas garras da indiferença!

Últimas